AMAZÔNIA PERDE PODER

A coluna RADAR, da revista VEJA desta semana, publicou nota titulada “Corte na Selva”, denunciando a extinção da Secretaria de Coordenação da Amazônia (SCA), órgão executivo do Ministério do Meio Ambiente e voz do movimento ambientalista da região dentro da Torre de Babel governamental. A nota destaca que o órgão arrecadou mais de 600 milhões de dólares em doação e empréstimos para a Amazônia.

É lamentável que a SCA esteja sendo extinta pelo Governo do PT e mais ainda sob o silêncio da Bancada Parlamentar da Amazônia. A bem da verdade, um dos únicos parlamentares a se pronunciar contra a atitude irresponsável do Governo foi o Deputado Federal Zequinha Sarney, do Partido Verde. Há poucos dias, a Comissão da Amazônia da Câmara dos Deputados, que já foi presidida pelo ex-Deputado Federal pelo Amapá, Evandro Milhomem, foi ameaçada de extinção.

O motivo da extinção da SCA é a disputa interna que se instalou dentro do Ministério do Meio Ambiente pelos dólares da Amazônia. Essa disputa é comandada por um grupinho de conservacionistas dentro do Ministério, que vive fazendo apologia ao imaginário amazônico do bom selvagem e conhecido pelas várias tentativas, até então frustradas, de meter a mão nos dólares da Amazônia para atender interesses políticos de organizações ambientalistas do centro-sul. A Ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, vai ter que se explicar para a sociedade amazônica, considerando que a SCA foi uma conquista dos movimentos ambientalistas da região.

Marco Antonio Chagas