Perdoe Assis Valente.
Eles não sabem o que cantam

*19/3/1911 ou 1908 +10/3/1958
Édi Prado 26.12.04

José de Assis Valente nasceu na Bahia Não se sabe ao certo se 19.03.1908 ou 1911. Também nem ele sabia ao certo se em Santo Amaro da Purificação, em Campo da Pólvora ou entre Pateoba e Bom Jardim. Quanto ao dia da morte, até aí paira incerteza: se às 6 horas da tarde de 06 março ou dia 10 do mesmo mês. Ele teve uma infância conturbada, tendo sido separado dos pais muito cedo, quando tinha 10 anos. Trabalhou como farmacêutico, fez cursos de desenho no Liceu de Artes e Ofícios e profissionalizou-se como especialista em prótese dentária. Foi para o Rio de Janeiro em 1927, e empregou-se como protético. No início dos anos 30 começou a compor sambas. O primeiro, "Tem Francesa no Morro", tornou-se sucesso na voz de Araci Cortes em 1932. Mais tarde conheceu Carmen Miranda e passou a compor sambas especialmente para ela, casos de "Good Bye, Boy" e "Etc". Carmen foi a maior intérprete e divulgadora dos sambas de Assis Valente. "Minha Embaixada Chegou", "Uva de Caminhão", "Camisa Listada", "E o Mundo Não Se Acabou" e "Recenseamento" foram algumas composições de Assis, eternizadas pela Pequena Notável.

A música mais famosa do compositor, entretanto, foi rejeitada por ela. "Brasil Pandeiro" acabou gravada pelos Anjos do Inferno em 1940, com grande êxito e regravada pelo grupo Novos Baianos mais de 30 anos depois, de novo com sucesso. Outros grupos vocais também popularizaram sambas do compositor, como o Bando da Lua, que gravou "Maria Boa" em 1936 ou os Quatro Ases e Um Coringa, que gravou "Boneca de Pano" em 1950. Outro grande sucesso foi a marcha natalina "Boas Festas", lançada por Carlos Galhardo em 1933 e regravada em 1941, 1956. e continua sendo até hoje.

A vida pessoal de Assis Valente foi tumultuada. Em 1941 tentou o suicídio pela primeira vez, atirando-se do alto do Corcovado. Ficou preso nas árvores a 70 metros. Acabou resgatado pelos bombeiros, e depois de recuperado compôs "Fez Bobagem", canção marcante interpretada com grande sucesso por Aracy de Almeida. Mas sua carreira bem-sucedida como compositor não foi suficiente para mantê-lo vivo, e, depois de tentar cortar os pulsos, conseguiu matar-se ingerindo guaraná com formicida, em 1958, no Rio de Janeiro. Muitos artistas regravaram a obra de Assis Valente, como Nara Leão, Chico Buarque e Adriana Calcanhotto. Na década de 90 o musical "O Samba Valente de Assis", sobre a trajetória do compositor, foi encenado no Rio de Janeiro. A música "Brasil Pandeiro" voltou a ser extremamente popular em 1994, graças a uma campanha publicitária relacionada à Copa do Mundo.

É uma história gloriosa e conturbada. Era dado aos prazeres notívagos, etílicos e da boêmia. Teve amores e dissabores e uma compulsão suicida. Dizem os mais chegados que foi a marchinha natalina, “Boas Festas”, que acelerou o passo no descompasso da canção. A marchinha era e ainda é um sucesso na voz de muitos intérpretes. E todos cantam não como uma súplica, uma prece, um clamor. E sim como se estivessem num desses bailes de carnaval. Ninguém entendeu nada. Ele só queria conhecer e sonhar com o ou um Papai Noel , a bordo de um trenó imaginário, trazendo um saco de felicidades e um balde de esperanças. Os que as crianças viram naquela tardezinha de 06 de março às 6 horas, na Praça do Méier, foi um bailarino agonizante tragando a dor dilacerante e uma voz murmurante, depois de sorver a última gota de formicida com guaraná.
Você tinha razão, poeta: “ou o Papai Noel com certeza já morreu... ou então felicidade é um brinquedo que não tem”. Enquanto isso “Boas Festas”, marchava para os barracões, subia os morros, descia as ladeiras, becos e favelas, alegrando os sonhos que nunca conheceram. Aqui, até a morte vira motivo para samba. Leiam este poema, depois liguem o CD para tocar. Cantem juntos. Ainda é tempo para brincar com a dor. .


Boas festas
Assis Valente 1932-
Gravado em 1933 por Carlos Galhardo

Anoiteceu
O sino gemeu
A gente ficou
feliz a rezar
Papai Noel
Vê se você tem
A felicidade
Pra você me dar.
Eu pensei que todo mundo
Fosse filho de Papai Noel
Bem assim, felicidade,.
Eu pensei que fosse uma
Brincadeira de papel
Já faz tempo que pedi
Mas o meu Papai Noel

Não vem.
Com certeza já morreu
Ou então, felicidade...
É um brinquedo que não tem.

Depois de matarem o velhinho de barba branca, assassinam nossos sonhos e acabam com o carnaval.