João e Bala os candidatos de Sarney.

Chico Bruno

A eleição municipal em Macapá tem um componente que, ainda, não foi percebido pela população, apesar de estarmos a poucos dias do dia 3 de outubro.

O senador José Sarney atua nos bastidores para que a candidata socialista Janete Capiberibe não se eleja. Infla discretamente os dois outros concorrentes João Henrique e Sebastião Rocha.

É que para Sarney é um ótimo negócio a eleição de um dos dois, pois os lideraria com facilidade, ao contrário de Janete que representa com sua vitória um golpe no caciquismo, que tem como seu representante máximo no Amapá, justamente, o senador Sarney.

O interesse de Sarney por essa eleição em Macapá tem a ver com sua fragilidade no Maranhão. Por lá existe um sentimento de libertação do clã dos Sarney. Basta que se veja a pontuação nas pesquisas do candidato do clã na eleição de São Luiz. O mandato de Sarney se expira em 2006 e a eleição de Janete em Macapá coloca em risco sua reeleição para o Senado, já que sua atual situação no Maranhão é complicada, principalmente em função do rompimento do governador José Reinaldo com o clã, por desavenças com a senadora Roseana Sarney.

A tábua de salvação, para manter o seu status na República, é a sua reeleição no Amapá. Daí o esforço concentrado em derrotar a socialista Janete Capiberibe.

A poucos dias do dia da eleição é preciso que os eleitores reflitam com a razão. Pois votar em João Henrique ou em Bala é votar no caciquismo representado pelo senador José Sarney, é continuar subjugado a suas vontades e não a vontade do povo do Amapá.

A eleição em Macapá é decisiva para o futuro do Amapá e de seus habitantes, pois uma vitória de Janete representa a libertação do estado ao jugo do caciquismo, já uma vitória de João ou Bala representa entregar o estado definitivamente nas mãos do senador José Sarney. Pense bem ao decidir seu voto. Veja o que é melhor para o seu futuro e do seu estado, principalmente se você não quiser transformar o Amapá em um novo Maranhão.