Precisamos de caras pintadas
Carolinne Assis

Ocorreu recentemente na Cinelândia , no Rio de Janeiro, um manifesto de estudantes e idosos para protestar contra o fim do passe livre, eram os "caras pintadas e caras enrugadas contra os caras de pau".

Iniciativa e mobilização são algo que faz falta nos jovens de Macapá e não só nos jovens.

Sexta-feira (12/07) aconteceu na UNA um debate organizado pela comunidade negra para ouvir o que os candidatos têm a propor para o povo negro historicamente excluído.

Não se pode afirmar que os objetivos do debate foram alcançados , por dois motivos. Primeiro porque dos candidatos ao Governo do Estado somente Cláudio Pinho e Dalva Figueiredo compareceram. Segundo por que só se viu no evento partidários e agentes da mídia local. A comunidade negra se restringiu as seus representantes. Estudantes e outros jovens assim como a comunidade em geral deixaram a desejar.

A Radio Difusora de Macapá transmitiu todo o debate ao vivo para seus ouvintes, mas ainda assim o interesse pelos discursos foi fraco, o que mostra que ele precisa ser mais estimulado e as campanhas deveriam se preocupar em amadurecer o eleitorado.

Organizar um debate para ouvir propostas para melhorar a qualidade de vida da população negra e diminuir sua exclusão social é uma belíssima iniciativa , mas mais belo ainda seria termos visto a UNA lotada pela sociedade amapaense ansiosa por ouvir e argumentar, e a partir daí poder construir suas próprias conclusões sobre cada candidato e não se limitar a aceitar a opinião que nos apresentada pela mídia . O bom eleitor é aquele capaz de formar e compartilhar suas próprias idéias.

Participação e iniciativa política são ações comuns entre os jovens de varias capitais brasileiras , está na hora de nossa sociedade participar ativamente da vida política do nosso estado , tornado nossos eleitores mais aptos para decidir nossos futuros governantes.

Incitar , promover , participar , estes são aspectos importantes para nosso amadurecimento político.