BRASIL - ECOTURÍSTICO POR NATUREZA

Dr. Benedito Dias

Podemos crer que o Brasil tem tudo para tornar-se destino “ecoturístico” mundial devido a sua dimensão continental, além de toda a sua diversidade ambiental, cultural e de inúmeros atrativos. Mas, para isso, precisamos de um turismo especializado e, claro, isso não é para amadores ou oportunistas. É de vital importância que o desenvolvimento de destinos e dos pólos ecoturísticos seja precedido de uma análise ambiental, com eventuais adequações e valorizações. Nosso país, com sua enorme extensão territorial, possui inúmeros recursos naturais e um enorme potencial para as mais variáveis modalidades de turismo. E, aos pouquinhos, vamos descobrindo o enorme potencial do Ecoturismo como alternativa de conservação e também como fonte de renda.

Este é um segmento de atividade turística que consegue utilizar, de forma sustentável, o patrimônio cultural e natural, incentivando sua conservação e buscando a formação de uma consciência ambientalista através da interpretação do ambiente, promovendo o bem-estar das populações envolvidas. E hoje podemos dizer que tornou-se uma tendência em termos de turismo mundial que aponta para o uso sustentável dos atrativos ambientais e culturais. Atualmente, em pleno processo de globalização, a preocupação com o meio-ambiente é generalizada.

O Ecoturismo já representa mais de 5% do turismo mundial. Para a Organização Mundial do Turismo, enquanto o turismo registra um crescimento de 7,5% ao ano, o Ecoturismo já ultrapassa a casa de 20%. Portanto, com investimentos corretos e projetos sustentáveis, essa atividade econômica poderá crescer cada vez mais, promovendo a melhoria da qualidade de vida das populações envolvidas e, o que é melhor, sem agressões à natureza. Inclusive, já possuindo um perfil próprio : o ecoturista é um viajante que busca experiências reais e autênticas, sendo muito bem informado, possuindo um elevado nível de consciência ambiental e social, normalmente possuindo nível superior e os seus destinos favoritos são as florestas tropicais. Sua idade média varia entre 30 e 50 anos, e busca por lugares de fauna e flora preservados, habitualmente viajando em grupos pequenos. Atualmente, este segmento do turismo não se resume apenas a uma atividade alternativa dos amantes do meio ambiente, pois transformou-se na indústria que mais cresce no mundo.

Deixando o amadorismo de lado, já existem vários Programas para o desenvolvimento do Ecoturismo no Brasil. Um exemplo é o Proecotur, um Programa para o Desenvolvimento do Ecoturismo na Amazônia Legal e tem como meta viabilizar o desenvolvimento deste segmento na região amazônica brasileira, onde se estabelece a base de investimentos públicos necessários para a atração de investidores privados.

A biodiversidade é a grande riqueza nacional e o Brasil é considerado a maior reserva hidrológica do mundo. Só na Amazônia, em sua floresta e rios, milhares de turistas nacionais e estrangeiros viajam anualmente, buscando desvendar os mistérios e beleza da fauna e flora nativa. Ecologicamente temos áreas territoriais relevantes e seguramente fontes de recursos turísticos geradores de emprego e renda.

Nove estados da Amazônia (Acre, Amapá, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins) poderão administrar suas áreas selecionadas para o Ecoturismo de forma responsável e adequada, com planejamento, assistência técnica e capacitação. Inclusive, o estado do Amapá é considerado um modelo de desenvolvimento economicamente viável, e possui uma situação única entre todos os estados da Amazônia, pois somente um por cento de sua área de quase cento e cinqüenta quilômetros quadrados foi desmatada. Assim, a floresta de mata firme, que ocupa setenta por cento do território, conserva sua biodiversidade praticamente intacta. E, devido à sua localização privilegiada, estando no extremo norte do Brasil, possui diferentes ecossistemas com características amazônica, guianense e oceânica. O resultado são paisagens bem distintas como planície, campos inundáveis, mangues, cerrados e florestas virgens.

Existem ainda Oficinas de Capacitação em Ecoturismo, Intercâmbio em Ecoturismo Brasil-Venezuela - ambos tendo como parceiro o BIOMA Educação e Assessoria Ambiental, Centros de eco-desenvolvimento regionais com parceria da REBRAF - Rede Brasileira Agroflorestal, Programa Piloto de Ecoturismo em áreas indígenas, entre muitos outros.

Aumentar a qualidade do turismo em nosso país é uma das metas de crescimento e desenvolvimento, portanto é de vital importância a execução de ações que apresentem resultados mais eficientes em toda a sua estrutura. Com toda a sua biodiversidade e extensão territorial, o Brasil tem tudo para tornar-se um destino ecoturístico mundial.

Capacitando a nossa força de trabalho, focando sempre a melhoria de serviços, investir em planejamentos ordenados e estratégicos, criar diferenciais que tornem o Brasil ainda mais atrativo do que já é, exige um trabalho conjunto cujo objetivo final seja o de gerar empregos e dar exemplos para uma política mais consciente, produtiva e justa.

Dr. Benedito Dias é Deputado Federal pelo Partido Progressista do Amapá
e faz parte das Comissões de Turismo, Economia e Seguridade Social
na Câmara dos Deputados