Ele Poderá Voltar!

Por José Almeida

Se existe um momento triste no cotidiano do povo amapaense que ninguém gosta de lembrar trata-se do período do racionamento. Ocorrido entre 1991 e 1993, a população das cidades de Macapá e Santana eram vítimas de constantes interrupções no fornecimento de energia elétrica que duravam de 04 à 06 horas diárias. O principal motivo desse racionamento estava diretamente relacionado aos reservatórios de água da Usina Hidrelétrica (UHE) Coaracy Nunes que encontravam-se abaixo do limite.

Na época, o Governo Estadual (que tinha como chefe executivo o Comandante Anníbal Barcellos) decidiu "programar" essas interrupções diárias de energia elétrica para evitar conseqüências materiais em alguns trechos prioritários da capital (como os órgãos públicos no centro da cidade). Foi até preciso a compra imediata de duas Usinas russas para suprir a demanda de carga da capital, mas de nada adiantou, pois, cada "motor" russo consumia em torno de 01 (mil) litros de óleo diesel diariamente, o que só fez aumentar o débito financeiro da CEA para com a Eletronorte.

Com o tempo (e com muito esforço da Bancada Federal do Amapá em Brasília), foi possível buscar recursos para a ampliação de distribuição da rede elétrica em todo o Estado do Amapá. Com isso, também, foi ampliado o Parque Térmico da Subestação/Termelétrica de Santana, alcançando uma demanda de 180MW, ou seja, o Amapá gera mais energia do que consome.

E o que poderíamos esperar de todo esse crescimento no setor elétrico no Amapá? Que nunca mais fossemos vítimas de um novo período de racionamento. Mas ele poderá voltar!

Segundo informações colhidas na Gerência Regional da Eletronorte no Amapá, das 03 máquinas geradoras da UHE Coaracy Nunes, somente uma (01) encontra-se atualmente suprindo a demanda elétrica de todo o Estado. Dos quase 20MW gerados pela única máquina, é feita distribuição para 09 subestações elétricas espalhadas no Estado - só na capital são três.

As outras duas máquinas geradoras encontram-se temporariamente paradas: uma está em manutenção há quase um mês, sem previsão para retornar ao seu funcionamento; e a outra está desativada desde agosto desse corrente ano devido falhas eletromecânicas, com previsão de retorno somente para abril de 2004.

Nos últimos dias 09, 10 e 11 de novembro, o Centro de Operações e Distribuição (COD) da CEA foi obrigado a fazer algumas interrupções no fornecimento de energia elétrica da capital para "aliviar" o limite de geração da UHE Coaracy Nunes, o que poderia causar uma queda total no sistema de geração. Os dois últimos dias (segunda-feira e terça-feira), as interrupções ocorreram das 19:00hs às 21:00hs, no chamado Horário de Pico. (é quando toda cidade consome o dobro de carga utilizada durante o dia)

Acredita-se que, devido esse crescimento populacional que o Estado vem sofrendo semanalmente (onde quase dez famílias chegam toda semana), o Governo Estadual têm por sua obrigação priorizar esse tipo de situação social, buscando rápidas providências, para que o povo amapaense não sofra novamente o mesmo pesadelo que foi "apagado" há cerca de dez anos atrás.