Limpeza étnica, limpeza disciplinadora...


Sobre a "Chacina de Benfica"


1º de junho de 2004 - Mais de 30 pessoas, mais de 30 negros, mais de 30 pobres, mais de 30 filhos de mães desamparadas foram massacrados no que certamente será lembrada como a "Chacina de Benfica".

O governo da família Matheus-Garotinho pode exibir o broche de ouro de uma política de (in)segurança que assola e enche de medo à sociedade brasileira, despertando espanto na comunidade internacional.

Cárceres negros, morros negros, delinqüência negra... Conseqüência nefasta da ditadura branca que há 500 anos governa e impõe sua vontade totalitária através dos mesmos cães de guarda. Em um espetáculo inumano, a policia assistiu conivente à cena de tortura, mutilação e assassinato, protagonizada por dezenas de presos numa cadeia preparada para a morte.
Um espetáculo inumano à qual também assistiu uma sociedade anestesiada, impávida e indiferente. A massacre faz parte do cenário natural que oferece a "cidade maravilhosa" aos seus visitantes ocasionais ou permanentes.

O governo estadual nos convida à oração, abençoando o horror. Se tudo der certo, poderemos até ter direito a uma passeata de roupa branca, pela Praia de Copacabana, rogando a Deus e aos poderosos por uma paz também branca e estupidamente ingênua. Mais uma vez, o Rio de Janeiro grita ao mundo que, sem importar quem as dispare, as balas sempre tem dono e destino (nunca houve balas "perdidas"), e que o governo e o tráfico constituem parceiros solidários do multifacético exercício de um poder genocida que torna mais fracas, tênues e degradadas nossas incipientes democracias.

Indignados, mais uma vez, hoje, choramos os mortos dos "outros" (que são sempre "nossos" mortos). Mais uma vez, reclamamos justiça perante os crimes cometidos pelo Estado e sua polícia, sempre impune. Mais uma vez, denunciamos o racismo e as práticas segregacionistas que condenam milhões de brasileiros e brasileiras à insegurança, à miséria, às balas perdidas, e às balas dirigidas, disciplinadoras, como as que tingiram nossas lágrimas na "Chacina de Benfica".


Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Laboratório de Políticas Públicas

Programa Políticas da Cor na Educação Brasileira (PPCOR)

Observatório Crítico de Direitos Humanos (OCDIH) /

Núcleo de Estudos Queer (NEQ)

Núcleo de Estudos sobre Drogas, Aids e Direitos Humanos (NEDADH)

Programa Outro Brasil

Observatório Latino-americano de Políticas Educacionais (OLPED)