Para dizer "NÃO À GUERRA" 15 de fevereiro, repúdio à guerra

Eduardo Galeano*


O presidente do planeta anuncia seu próximo crime em nome de Deus e da democracia. Assim calunia Deus. E calunia, também, a democracia, que a duras penas sobreviveu no mundo, apesar das ditaduras que, há mais de um século, os Estados Unidos vem semeando em todos os lugares. O governo de Bush, que mais do que governo é um oleoduto, precisa se apossar da segunda reserva mundial de petróleo, que jaz no subsolo do Iraque. Além disso, precisa justificar a dinheirama de seus gastos militares e precisa expor no campo de batalha os últimos modelos de sua indústria armamentista.

É disso que se trata. O resto é pretexto. E os pretextos para esta próxima carnificina ofendem a inteligência. O único país que usou armas nucleares contra a população civil, o país que descarregou as bombas atômicas que aniquilaram Hiroshima e Nagasaki, pretende nos convencer de que o Iraque é um perigo para a humanidade. Se o presidente Bush ama tanto a humanidade e realmente quer conjurar a mais grave ameaça de que padece a humanidade, por que não bombardeia a si mesmo, ao invés de planejar um novo extermínio de povos inocentes?

Imensas manifestações invadirão as ruas do mundo neste 15 de fevereiro. A humanidade já não suporta que seus assassinos a usem como desculpa. E já não suporta chorar seus mortos ao fim de cada guerra: desta vez quer impedir a guerra que vai matá-los.

* O uruguaio Eduardo Galeano é escritor, autor de "As veias abertas da América Latina"

Nosso pedido
Pedimos a cada cidadão do mundo a ajudar a parar esta guerra.
Durante o III Fórum Social Mundial, em Porto Alegre, os movimentos sociais do mundo
todo concordaram em fazer manifestações pela paz no sábado, 15 de fevereiro. Sugerimos que sejam organizadas atividades no seu espaço social, igreja, comunidade, escola, trabalho, vizinhança, faça alguma coisa.

Sugerimos vigílias, atos políticos, reuniões, reflexões, orações, panos brancos nas janelas. Caso sua cidade/bairro/região não tenha o costume de realizar manifestações no sábado, faça na sexta-feira, 14 de fevereiro.