"OS JUÍZES SÃO PESSOAS TRABALHADORAS, COMPETENTES E
HONESTAS", DIZ PESQUISA DO IBOPE

Por *Heraldo Costa

Esta é uma das conclusões a que chegou a pesquisa do IBOPE, encomendada pela Associação dos Magistrados Brasileiros para verificar qual a imagem que o povo tem do trabalho dos Juízes, dos próprios Juízes e do Poder Judiciário.

A pesquisa ainda está em fase de conclusão, mas o IBOPE já adiantou resultados preliminares que revelam algumas facetas importantes a serem analisadas.

Dentre os resultados apresentados pela pesquisa, um deles que causa um certo alívio aos Magistrados, duramente criticados pelo atual governo federal, é a de que as pessoas vêem os Juízes como pessoas corretas, corajosas e equilibradas.

Outro dado importante é que a população considera a natureza do trabalho do Magistrado de alta responsabilidade, justificando com isso o salário recebido.

A pesquisa do IBOPE é qualitativa e por isso revela a questão da falta de informação da população para distinguir com clareza o que é o Juiz e o que é o Poder Judiciário. Se por um lado a pesquisa revelou que a imagem do Juiz diante do povo é boa, quando a pesquisa faz a pergunta quanto ao Poder Judiciário o resultado não é tão positivo. A pesquisa revela claramente que a população tem uma imagem incompleta a respeito do que é o Juiz e o que é Poder Judiciário. Isso se deve ao fato de que as pessoas ainda têm idéias equivocadas, porque, sendo o Poder Judiciário um dos Poderes da República, carrega consigo a mesma desconfiança que as pessoas têm no Poder Executivo e no Legislativo.

Entretanto, vistos isoladamente, a imagem que a população têm dos Juízes é a de que são pessoas competentes e trabalhadoras.

Quanto ao Poder Judiciário a população reclama por mais transparência a respeito de suas ações e ainda o vê como um poder burocrático e moroso.

Em compensação o povo aponta no Judiciário qualidades como o garantidor de direitos e o portador de segurança e a confiança para a solução dos conflitos.

A pesquisa foi realizada em quatro capitais: são Paulo, Rio, Porto Alegre e Recife e revelou que a imagem que as pessoas formam dos Juízes é uma imagem muito melhor do que a imagem que se tem dos políticos, dos policiais e dos advogados.

Mas, como dito, o que preocupa é que a imagem do Juiz vista isoladamente é uma, mas vista no contexto do Judiciário como instituição é diferente.

Uma outra questão importante, visto que nunca se tinha feito uma pesquisa qualitativa a respeito do trabalho dos Magistrados Brasileiros, é que a população tem uma imagem de que o Juiz trabalha muito, que é uma pessoa competente e honesta, mas ao mesmo tempo a pesquisa avalia que esse fato não impede que a justiça esteja livre da corrupção.

Outro dado preocupante é de que o povo ainda vê o judiciário como algo distante e inacessível.

Sobre este último ponto é interessante frisar, como dito acima, que a pesquisa foi realizada nas grandes capitais e tenho certeza de que se a pesquisa for estendida para todas as capitais, a imagem que se formará nesse aspecto em outros Estados será totalmente diferente.

Digo isso não para "puxar a sardinha pra nossa brasa" mas no sentido de que, no Amapá, a imagem que as pessoas têm do Judiciário e dos Juízes tem mudado significativamente. Aqui as pessoas têm uma idéia de que esse distanciamento do povo x juízes é mais abrandado. Não que não haja, mas a imagem que se formou da justiça amapaense é a de que o juiz está ao lado da comunidade para resolução de seus problemas.

Em suma, primeiro, o estudo revela uma boa imagem dos juízes; segundo, que os juízes são melhores vistos do que a instituição que pertencem; terceiro ponto, a população ainda reclama da burocracia e morosidade, mas entende que isso se deve a falta de recursos e de orçamento; quarto ponto, que dentre as qualidades que o povo vê no judiciário estão a segurança e a confiança de garantir direitos aos cidadãos e solucionar conflitos; quinto ponto, é que os juízes são vistos como pessoas que trabalham bastante, são pessoas responsáveis, competentes e honestas; sexto ponto, é que o judiciário é visto com distante e inacessível; o sétimo ponto é que as pessoas acham que os salários dos juízes são altos mas que em razão da natureza do trabalho que eles desempenham devem ganhar bem; No oitavo ponto a pesquisa revela que as pessoas têm como esperança de que doravante possam ter mais informações a respeito do judiciário para desmistificar a questão quanto ao Poder e quanto aos Juízes.
Esperamos a divulgação da pesquisa completa para posteriores análises.


Heraldo Costa é Juiz de Direito Substituto da Justiça do Estado do Amapá.