Reflexões sobre Deus

José Amoras

Meu próximo livro de poesia terá o título em latim: "Religare". É um momento importante onde a verve fez resplandecer a espiritualidade.

Religare é o radical que origina a palavra religião: religar o homem a Deus. Isto não é novidade. Mas quem é Deus? Na concepção de Leonardo Boff "cabe ao ser humano curvar-se reverente face a esta Suprema realidade. Ele sempre se sentiu fascinado por ela. Buscou-a no sono e na vigília, como o obscuro e constante objeto de seu secreto amor. Mais ainda, ousou decifrá-la. Conferiu mil nomes a Quem é sem nome: Deus, Javé, Alá, Brahma, Atma, Tao, Olorum. Foi o que fizeram e fazem as religiões desde a mais alta ancestralidade até os dias atuais. Por elas o próprio Mistério se autonomeia, a própria Energia se auto-identifica e o próprio Amor se autocomunica”.

Então, cada um de nós tem seus métodos, seja através de rituais ou diante da solidão total. Mas ninguém vive de bem com a vida sem a prática pessoal do religare. Através de uma reflexão, uma prece, um movimento corporal, o fazer arte, a observação da magia da natureza, ou ajudando o outro e lá está o homem na sua pequenez diante do universo, buscando o bem estar com a eternidade. E lá está o homem promovendo Quem está dentro dele, no mais absoluto silêncio provocando revoluções.

Porque revolução se faz todo dia quando se percebe que o Grande Espírito está dentro da gente. Não o Deus institucionalizado, algemado em dogmas. Não o Javé impedido de se filiar num partido comunista, mas com o Alá que ama os povos da floresta e sabe porque se deve preservá-la, e que se alegra quando o homem faz descoberta científica beneficiando a Vida. É com este

Brahma que ajuda na multiplicação dos pãesdividindo-os entre os homens, é com este Atma que leremos este livro, um pequeno livro que se faz convite à reflexão das coisas. Um convite a cerca do Equilíbrio - o maior tesouro à disposição do homem nesta ilha chamada Terra. Uma ilha suspensa nesta minúscula galáxia diante da imensidão do universo.