Texto publicitário

Algumas faculdades, inclusive aqui em Macapá, estão retirando da estrutura curricular de seus cursos de publicidade a disciplina Redação Publicitária. Essa mudança parte da idéia de que o publicitário, ao contrário do jornalista, não precisa escrever bem. Na ótica dessas instituições, um anúncio publicitário é feito apenas de efeitos especiais, atores famosos e bichinhos jogando futebol.

Talvez eu esteja ficando velho e caduco, mas não consigo imaginar um bom publicitário que não seja um expert nas palavras, que não seja capaz de convencer usando apenas a força de seu texto.

Um bom exemplo de como um comercial pode emocionar e convencer apenas através das palavras é um anúncio de Washington Olivetto sobre a paz. Sem música, atores famosos, sem efeitos especiais, apenas com uma tela em branco e a narração em off (off é quando quem fala não aparece na imagem), esse anúncio emocionou quem teve a sorte de vê-lo.

Reproduzo abaixo o texto dessa propaganda:

“Esse comercial não tem mulher de biquíni, não tem cachorro, não tem criança, não tem bebezinho.

Esse comercial não tem casal, não tem beijo, não tem família tomando café da manhã.

Esse comercial não tem música de sucesso, não tem efeito especial, não tem tartaruga jogando bola.

Esse comercial não tem gente famosa, nem garoto propaganda.

Porque esse comercial é para vender um produto que ninguém precisa ser convencido a comprar...

Esse comercial é para vender um produto que você adora consumir e que, por sinal, você até já comprou, só que não estão entregando...

É um produto que não tem marca, não tem slogan, não tem embalagem, nem faz promoção do tipo “leve 3, pague 2”.

Esse comercial é todo branco, e desse jeito ele pode ser entendido aqui e no mundo inteiro.

Aliás, seria muito bom se esse comercial pudesse passar no mundo porque o produto que esse comercial pretende vender é a PAZ.

E enquanto o pessoal que precisa comprar a paz não compra, faça assim: pegue o estoque de paz que você ainda tem em casa e use na fila do banco, use no elevador, use no futebol. Paz é um produto interessante!

Porque quanto mais você usa, mais você tem.

E se todo mundo usar, quem sabe chegue o dia em que ninguém mais precise fazer um comercial para vender a paz.”

O que me deixa triste é que, com a eliminação da disciplina redação publicitária a matriz curricular dos cursos de publicidade, textos como esse serão cada vez mais raros. A tendência, então é os intervalos comerciais serem tomados por uma enchente de obviedades, de comerciais com textos mal escritos, quando houver algum. Pelo jeito, vão abundar bundas, efeitos especiais, superproduções, e o texto, sempre ele, será deixado de lado. Pobre língua portuguesa.

ivancarlo.weblogger.com.br