A mensagem de Ruben

Recebi do advogado Ruben Bemergui o seguinte e-mail.

Prezada Márcia,

Li com sincera tristeza a abordagem que vincula advogados aspirantes a Presidência da OAB ao infortúnio pelo qual passa o Desembargador Edinardo Souza. Pelo que pude compreender, os estímulos dos profissionais estariam abrigados pela expectativa de insucesso do tratamento a que vem se submetendo o Desembargador, redundando em abertura de uma vaga destinada ao quinto constitucional advocatício junto ao Tribunal de Justiça. Pois bem. Não fosse a citação de meu nome no rol de presidenciáveis agourentos e seria enérgico com a ilação a ponto de oferta-lhe o silêncio. Entretanto, mencionado em tão cruel inferência, calar seria prejudicial a minha saúde, pela qual tenho o mesmo zelo que devoto, e sempre devotei, aos meus semelhantes, especialmente a meus amigos, entre eles meu querido Edinardo. É que Desembargadores, como qualquer outro ser humano, em meu sentir, também são passíveis de afeição pessoal. A medida da fraternidade, para mim, não está obstaculizada ou animada por posições profissionais ou econômicas, mas, essencialmente, pela intensidade das relações, as respectivas histórias e o ambiente de solidariedade de cada uma. É por isso que não projeto, nem nunca projetei, minha vida vaticinando a má sorte alheia. Sou profissional liberal, sequer sou servidor público - nem nunca concorri para sê-lo. Finalmente, não sou candidato à presidência da Ordem. Isto pelo único motivo de estar, diante dos inúmeros compromissos profissionais assumidos por minha banca advocatícia, impossibilitado de entregar à OAB o tempo que merece, ainda que tenha sido, por numeroso grupo de colegas, instado a examinar essa honrosa possibilidade. Quanto as demais deduções de sua matéria, relativas a mim, mesmo que discorde, as tenho no campo da razoabilidade.

Com respeito e desejos de saúde,

Ruben.

Nota da colunista

A afeição e amizade que definem a relação entre o advogado Rubem Bemerguy e o desembargador Edinardo Souza são de nosso conhecimento e, em nome dela, pedimos desculpas se o texto publicado nesta coluna foi indelicado no sentido de evidenciar o contrário. Também, com toda sinceridade, não foi essa a intenção. Comungamos da idéia de que as relações de afeto não devem ser definidas senão pela autenticidade do sentimento que as envolvem.

Entretanto, não podemos deixar de tratar de um assunto que é real e está acontecendo diante de nossos olhos. O que se comenta nos bastidores da eleição da OAB é a possível aposentadoria do desembargador Edinardo Souza e a disputa pela vaga no Tribunal de Justiça. Ressaltando-se que o advogado Rubém Bemerguy está fora do pleito, e portanto do foco desse debate, esse é sim um elemento motivador da disputa.

Márcia Corrêa