IMPRESSÕES
ROMPER A INÉRCIA

A gente as vezes quer se conter mas não dá.Li com cuidado a noticia do Renivaldo Costa sobre o projeto de limpeza da cidade, objeto de convenio entre o governo e as prefeituras de Macapá e Santana.Tudo muito bonito, algo em torno de seis milhões de reais, empregos em abundancia - mais de mil por unidade, ainda que temporários, que não vai resolver o problema crucial dessas regiões, justo saneamento e

urbanização, conforme falei no artigo anterior.Para que não paire qualquer dúvida da intenção desta nota, é necessário dizer que elas, as medidas propostas, atravessam os governos, e já se tornaram um clichê.

Fala-se em revitalização de logradouros e outros babados.Traduza-se isso como maquiagem.Aquela coisa que político-candidato adora fazer as véspera de eleição pra afagar o eleitor incauto.Algo bem cosmético feito com dia e hora pra acabar, ao contrário daquelas que aqui reclamamos.E pense bem que seis milhões de reais é um volume significativo de recursos pra se torrar desse jeito mas que, aplicado com inteligência , renderiam algo mais substancial em saneamento e urbanização.Por essas e outras é que os anos passam e os problemas se eternizam com eles.Até o tempo foi bem calculado.Vai durar justo doze meses, segundo a notícia.Feito as contas deve se encerrar em agosto de 2004, às portas da eleições municipais.

Não se pode negar o alcance temporário das medidas diante da perspectiva de surtos endêmicos de doenças típicos da temporada, como é o caso da dengue.Mas, sinceramente, é preciso romper a inércia e se partir pra algo mais substancial.Aí é que deveriam aparecer as lideranças dos bairros, aquelas realmente sinceras e comprometidas , para reclamar por ações novas e permanentes de infra-estrutura e urbanização.Ao invés do oba-oba protocolar, conduzido e arranjado, faixas e cartazes pedindo, com respeito ...”CHEGA DE EMBROMAÇÃO, QUEREMOS URBANIZAÇÃO.

MAIS ENROLAÇÃO

Não entendi muito bem como vai fazer a Assembléia Legislativa para levar adiante aquele projeto que cria os restaurantes populares com comida a R$ 1,00 , idéia por sinal da lavra do saudoso Betinho no auge da sua campanha contra a fome.E é bom não confundir com as razões de Betinho que , ao que se sabe, tinham fortes sentimentos humanitários e de resgate da cidadania.

Os políticos, como Garotinho no Rio, e os daqui agora, é que se apropriaram dela para fazer política barata.E seguramente com o dinheiro da viúva, como sempre fazem, de olho nos dividendos eleitorais que medidas dessa ordem rendem.Como se o erário público fosse um poço sem fundo.

Esta, sem dúvida , é mais uma atitude da AL para desviar a atenção da patuleia.A grana que transita naquela casa é muito grande estimulando a concepção desses penduricalhos sociais e a intromissão em tarefas do Executivo.Essas proposições, por mais meritórias que pareçam, desvirtuam a essência da função do parlamento que ao que se sabe é criar leis em benefício do cidadão e do Estado e fiscalizar o executivo.

O problema é que a atividade parlamentar, hoje, completamente desvirtuada de seus princípios, foca em duas direções: primeiro na busca incessante da auto sustentabilidade parlamentar( e aqui vale de tudo ) e depois na eternização da miséria e da dependência do eleitor.Nada de medidas inteligentes na busca da solução dos problemas.Da criação de ambientes e condições do resgate do cidadania.De recuperação da auto estima.Da geração de emprego e renda que permite o cidadão sua auto sustentação, ou coisa parecida .A ordem é escravizar cada vez mais as pessoas com essas medidas que não melhoram em nada a expectativa de vida dessa gente sofrida.

A IMOLAÇÃO DE HUMBERTO II

Prometo ao amigo Humberto ficar por aqui.Mas a réplica do companheiro dirigente do sindicato merece uma tréplica.Nós todos: jornalistas ou não, leitores, ouvintes, e o povo em geral, se tivesse tido a chance de ler o que coloquei na nota anterior, não teriam nenhuma dúvida sobre o que ali se falava, inclusive o nobre presidente do Sindicato.Negar a imolação de Humberto soa tal qual admitir que o Brasil é uma nação multi racial, respeitosa e justa com suas minorias, desprovido de preconceitos raciais etc e tal, hipocrisia que só se presta para manutenção dessas excrescências por debaixo dos tapetes.E Humberto Moreira não é e nunca foi um coitadinho.Com ou sem aspas.Sempre o reconheci como um excelente profissional.A ele cabe, por sinal , desfazer esse impasse.Afinal o presidente do sindicato parece seguro em firmar não existir cerceamento a sua atividade profissional.E nós o contrário.