Regiane, Emanoel e Fatinha Oliveira visitam o barracão de Piratas da Batucada para acompanhar os últimos retoques nas fantasias. Fatinha fez aniversário na sexta-feira (28) e vai comemorar na avenida, folia da ala Ouro Verde. Emanoel é membro da bateria da escola.

 

Como diz a propaganda, no Xanadu quem manda são as mulheres. As gatinhas do bloco esquentaram a noite chuvosa do Encontrão do Bar do Abreu com minúsculos shortinhos e corpinhos malhados.

 

Raimundo Maciel, o Tob, diretor de ala da Universidade de Samba Boêmios do Laguinho, de olho no acabamento das fantasias para que nada saia errado. “Vamos homenagear a primeira rua de Macapá. Lá onde a cidade começou”, disse.

Paulo Rodrigues, carnavalesco de Piratas da Batucada desde 2002, explica à artesã como quer a decoração do carro que homenageia as criaturas lendárias da floresta e as ONGs ambientalistas. O enredo da escola é uma apologia à biodiversidade da Amazônia e um alerta contra as agressões a esta riqueza.

Vice-Prefeito de Macapá, Gilson Rocha (PT), é também diretor de carnaval de Piratas da Batucada. “Fomos campeões no ano passado e seremos esse ano novamente”, preconiza. Segundo ele, o que faz a diferença no Piratão é o envolvimento da comunidade com a escola.