O protesto dos estudantes da faculdade Seama
Alunos do curso de jornalismo da faculdade Seama realizaram uma manifesdtação de protesto contra a falta de laboratórios e condições de ensino, na noite de terça-feira (04). Segundo o panfleto distribuído pelas turmas 21 e 31, as primeiras da faculdade e do estado na área de jornalismo, os laboratórios de tv, rádio e impresso não foram instalados pela instituição.
Os alunos estão preocupados também com o reconhecimento do curso. O Ministério da Educação autorizou o funcionamento, mas só reconhecerá a validade do diploma se a faculdade cumprir as normas legais, entre elas a instalação e o funcionamento dos laboratórios. "Estamos no terceiro ano, nossa formatura será no ano que vem e até hoje não tivemos aula prática porque a faculdade não cumpre os prazos de entrega dos laboratórios", disse o aluno Raimundo Reis.
Os alunos alegam que a manifestação só foi realizada porque se esgotaram todas as tentativas de diálogo com a direção da Seama, que nunca se dispôs a conversar com os acadêmicos. "Desde o primeiro ano estamos alertando para o problema e a direção nunca deu importância. O resultado é a perda de parte desse semestre, que já está no fim e as aulas práticas ficaram comprometidas", explicou a acdêmica Ana Girlene.
A manifestação mobilizou quase a toitalidade de alunos e fez parar a faculdade. Durante o protesto, alunos de outros cursos fizeram pronunciamentos denunciando descaso também em suas áreas de ensino. Hoje à noite será realizada uma assembléia geral dos estudantes para que sejam tomadas novas decisões.