CNPq aumenta número de bolsas na região norte.

Investimento garantirá o desenvolvimento dos cursos de
pós-graduação, seguindo as linhas do PAC da Ciência

A parceria entre Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCT) e instituições de ensino e pesquisa da região Norte aumentará em 70% o número de bolsa de doutorado e mestrado.

O acordo assinado, segundo o presidente do CNPq, Marco Antonio Zago, agirá no desenvolvimento da ciência e tecnologia de forma mais homogênea no país, seguindo as linhas de ações do PAC de Ciência, Tecnologia e Inovação, lançado em novembro pelo MCT.

"O CNPq vai dar uma injeção de investimentos na formação e capacitação de recursos humanos na região Norte. Aumentaremos o número de bolsas desses estados, que hoje está na casa de 2% do total de bolsas oferecidas pela instituição", disse Zago. Em contrapartida, o Conselho espera que as instituições incentivam o desenvolvimento das áreas estratégicas dentro das universidades e instituições, definidas pelo PAC de Ciência.

"A ação que lançamos é dirigida principalmente para a formação e qualificação dos recursos humanos, incentivando a fixação, pois, no momento em que formamos e qualificamos pesquisadores da região, já estamos incentivando que permaneçam nas instituições.
Além de outras ações que o CNPq já possui nessa linha, para intensificar, precisamos agora de um plano das universidades para trabalharmos em conjunto", reforçou o presidente Marco Antonio Zago.

Além disso, esse investimento garantirá o desenvolvimento dos cursos de pós-graduação no Norte, levando a uma melhor qualidade do ensino nas universidades.

"Queremos que nossos esforços sejam internalizados nas universidades, ressaltando as qualidades que cada estado pode apresentar, pois estamos buscando o desenvolvimento regional mais eqüitativo, valorizando suas potencialidades e promovendo também a inclusão social", acrescenta a vice-presidente do CNPq, Wrana Panizzi.

Na reunião, realizada na última terça-feira (22/1), o diretor do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCT), Adalberto Luis Val, ressaltou a necessidade de ultrapassar as taxas históricas de investimento na região. "Além da qualificação dos pesquisadores, precisamos igualmente de ações que fixem esses recursos humanos na região", afirmou.

Para o reitor da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Hidembergue Frota, é importante que o CNPq apóie também a interiorização da capacitação de professores. Hoje, de acordo com ele, a região Norte precisa levar seus pesquisadores para as cidades do interior. "Para isso, precisamos de investimento para manter esse pessoal por lá", disse.

(Assessoria de Comunicação do CNPq)