Caríssimo Correa, li com gosto no teu site o texto sobre o humor.

Como rir faz bem para o sangue e para vida, te proponho mais uma lista de afirmações hilárias contidas no EIA da MMX ou em seus anexos.

A mais gozada vem de textos traduzidos do inglês: por exemplo, ao traduzir Serra do Navio, alguém leu o “do” como se fosse o verbo que em inglês significa fazer. A tradução saiu assim: SERRA FAZ NAVIO.AP.

Mas veja estas outras trinta que selecionei entre muitas. É bom lembrar que, ironicamente, a MMX já recebeu uma primeira licença de operação:

1. O acesso para a cidade de Pedra Branca do Amaparí, só é feito via rodoviária e fluvial. (esqueceram o trem)

2. o Rio Amaparí, que se dirige ao oceano Atlântico, e o Rio Araguari, cuja importância se dá pela sua proximidade com o Rio Amazonas (pobre geografia!).

3. Rio Amapari, é em seu leito que é lavado o manganês (finalmente são réus confessos!).

4. As reservas atuais do manganês, que somam 9,3 milhões de toneladas, permitindo uma vida útil da mina até o ano de 2003, estão localizadas no município de serra do navio. (atuais?)

5. Pode-se destacar o Fórum Mundial Social que tem escritório central em Belo Horizonte, Minas Gerais e agrega em sua rede, organizações sociais ligadas a religião católica (Caritas e CNBB). (E as demais?)

6. O CIMI - Conselho Indigenista Missionário também é um organismo da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil - CNBB com sede Nacional em Belo Horizonte. (A sede é em Brasília)

7. Coordenadoria Estadual do Meio Ambiental - CEMA. (Do tempo da onça)

8. O manganês foi, durante quatro décadas, o único bem mineral explorado industrialmente em larga escala. (E o caulim? E a cromita? E o ouro?)

9. A produção de laranja vem sendo incentivada, nos últimos 5 anos, através da distribuição de mudas produzidas pela CODAP (ex-CODESA) (do tempo da onça)

10. a Perimetral Norte circunda o parque Tumucumaque (pobre geografia!).

11. O patrimônio histórico e cultural do Estado compreende edificações do século XVI. (1500 a 1600?)

12. Inaugurada em 1761, atualmente é catedral da Diocese, mantendo as características do estilo arquitetônico inaciano. É nela que se realiza a maior festa religiosa da cidade: a Festa de São José (e a nova catedral e o Círio?)

13. Centro de Cultura Negra - em implantação (UNA e FUNDECAP) no Laguinho (Ainda?)

14. Alguns afluentes do Amazonas, como por exemplo, o vale do Amapari (pobre geografia!)

15. A partir da década de 70, com a construção da Estrada de Ferro Amapá (pobre história!)

16. Até a descoberta do manganês, na década de 40, a área atual do município de Serra do Navio era coberta pela Floresta Amazônica (e agora?)

17. Pela Estrada de Ferro eram transportadas mil toneladas anuais de manganês (Só?)

18. Alguns dos caçadores fazem uso do trem, até Santana, onde comercializam o excedente da pequena produção (caçadores?)

19. Ônibus que fazem a ligação entre Amapá e Serra do Navio (pobre geografia!)

20. A Reserva Indígena Waiãpi limita-se ao norte com a Guiana Francesa (pobre geografia!)

21. Os moradores do município de Pedra Branca do Amapari que vivem ao longo da ferrovia, concentraram-se em volta dos 14 pontos de parada do trem (são 4!)

22. Através da bacia do rio Amapari é possível a navegação até o Oceano Atlântico (com que embarcação?)

23. A ferrovia que liga a cidade de Serra do Navio ao Porto de Santana tem quatro estações no município, a saber: Pedra Branca na sede municipal, Km 173, Xivete e Cachorrinho (agora sim, são 14!)

24. O transporte rodoviário é realizado através da BR-156 e BR-210 por ônibus intermunicipais da Evans (são vans!)

25. A Terra Indígena Waiãpi vai até o curso alto do Rio Oiapoque, na Guiana Francesa (pobre geografia!)

26. Arqueologia: Foi possível observar um copo de bomba d’água (chupadeira) e um serrote para árvores de grande porte (Arqueologia? Ciência das origens?)

27. Curiau - dista 8 km de Macapá, constitui-se em uma das raras comunidades negras do país (só no Amapá são mais de 40!)

28. A mesma expectativa está presente no discurso do representante do executivo local, que também, espera a geração de empregos e, principalmente, a reativação e utilização do aeroporto local para o embarque do minério: “os impostos vão para o Amapari, se o embarque for em Serra do Navio, também, receberíamos alguma participação”.

29. As principais espécies comercializadas são: a Acoaricoara, para postes de iluminação, o Angelim, a Sucupira e a Maçaranduba, utilizada para pontes e dormentes; o Flechau e o Esteio são usados para estrutura de construção de casas (árvores boas estas!)

30. Universidade Federal do Amapá (UFAP) (Epa!)

E têm muitas, muitas outras!