A Amazônia ainda não tem política de desenvolvimento, diz Capiberibe

O presidente estadual do PSB Amapá, vice-presidente do PSB nacional, ex-governador do Amapá João Alberto Capiberibe, que implantou no Amapá o PDSA, defendeu hoje um projeto de desenvolvimento sustentável para a Amazônia. Para o socialista, o presidente Lula e a ministra Marina Silva debatem sobre um falso dilema ao procurarem um culpado para o desmatamento da floresta amazônica. Além da pecuária e da monocultura da soja, Capiberibe disse que é preciso acrescentar a produção de ferro guza, cujos fornos queimam matas nativas.

Segundo Capiberibe, o próprio governo é o culpado pelo desflorestamento amazônico, já que não tem uma política concreta para o desenvolvimento da região. "O governo dormiu e ficaram as atividades tradicionais, que são, de fato, predatórias. É possível preservar a floresta em pé se tiver uma nova política".

Capiberibe citou como exemplos da exploração sustentável as cadeias produtivas que formou durante os sete anos que governou o Amapá. Desta maneira, é possível a geração descentralizada de riqueza e renda com os produtos fármacos e de perfumaria, com as paisagens e o turismo na Amazônia. Também é preciso promover a modernização das técnicas de produção agropecuária com o uso das áreas já em exploração agrícola para evitar novas devastações com este fim e a recuperação de espaços essenciais ao bioma amazônico. O açaí, que integra a cadeia produtiva na Amazônia, era praticamente desconhecido há pouco mais de 15 anos e hoje é o terceiro item na pauta de exportações do Amapá, por exemplo.

Capiberibe criticou o financiamento oficial aos projetos de devastação, promovidos pelos bancos oficiais e pelo próprio Fundo Constitucional da Região Norte. Ele defende a realocação destes recursos de modo diferente, conforme proposta que apresentou no Senado Federal. Do total do Fundo, 50% fomentaria a modernização das atividades tradicionais instaladas na Amazônia, adequando-as ao ecossistema local. A outra metade serviria para pesquisa de projetos que gerem e distribuam de emprego e renda a partir de atividades não conflitantes com o ecossistema amazônico e para financiar a implantação descentralizada dessas atividades.

Desta maneira, Capiberibe acredita no desenvolvimento socio-ambiental com sustentabilidade da região Norte do país.

Clique aqui para ouvir a entrevista do ex-governador Capiberibe ao jornalista Heródoto Barbeiro, na CBN.

Sizan Luis Esberci