Édi Prado - Opiniões sobre o desfile da Beija-flor.


Gostei da idéia de chorar o leite derramado. Afinal, as minhocas precisam de um novo tempero para saciar a fome. Se valeu a pena ou não, vamos ver nas quarta-feiras de cinzas, que virão.Se a intenção era chamar a atenção para um Estado que está na ponta das questões ambientais e em defesa da ecologia do eco sistema, do ambiente inteiro, não só com o meio. Que legal. Quantos bônus verdes vamos ganhar dos países que destruíram as matas, florestas, rios, lagos, agora poluem os oceano? Se o turista quiser vir para Macapá, conhecer o Equador, a Fortaleza, o Equinócio, o Rio amazonas? Teremos a infra estrutura para atendê-lo? Que bom! Com esses bônus do carnaval, vamos poder limpar as ruas, asfaltar a cidade, tapar os buracos, fechar todas as torneiras que jorram água em todos os cantos da cidade, menos nas casas, onde as pessoas precisam. Vamos transformar nossa cidade que fica no meio do mundo, num primor, um encanto? Que legal. Se o dinheiro gasto com o carnaval retornar com o investimento nos setores produtivos e o turista trouxer de volta todos esses milhões de Reais, que foram embora nas descargas da ressaca moral e econômica, vamos ficar felizes. Que legal ter um grupo para discutir e avaliar o carnaval dentro e fora do Amapá. Afinal, em carnaval tudo é permissível. Até homens honrados, se travestirem de mulher e borboletas, purpurinadas como o beija-flor cor de fogo. E bote fogo nisso.Mas desde quando os cariocas vão se preocupar com lendas, tradições e cultura do Amapá? Macapá rimou com babacás, que paga 8 MILHÕES para ilustrar o tema da Escola que é um beija-flor. Uma coincidência que rima com alguém pagando para isso, num momento em que o mundo volta-se contra a ameaça do eco sistema, meio ambiente, do ambiente inteiro do planeta Terra que está suplicando clemência , antes que a mãe natureza se aborreça de vez e dizime a todos os seres vivos. A Escola está preocupada com a projeção mundial do desfile e quantos eles vão ganhar para desfilar pelo mundo inteiro, sob o peso de Euro/dólares, enquanto nós, aqui no coração da Amazônia, vamos nos contentar com a tosse de tuberculose do pulmão do mundo, que também agoniza. No mínimo para amenizar a opulência, deveria planejar um beija-flor atirando pétalas de apelos do tipo: não destrua a natureza. Vamos deter o desmatamento, vamos cuidar das nossas água, não vamos jogar lixo nas ruas, nos bueiros. E o Rio de Janeiro, quem o conhece, sabe que é um Estado mais poluidor do planeta, em se tratando dos rios e mares, lagoas, córregos. Quem está pousando no Rio Janeiro e se por acaso estiver dormindo, vai acordar imediatamente: O fedor insuportável daquela cidade toma conta do interior do mais requintado avião que pousa naquela cidade. Eu morei 12 anos lá. Conheço de perto, O meu nariz e os meus olhos são testemunhos. Os 8 milhões aplicados de verdade em nossa cidade, em nosso Estado, seria bem mais proveitoso, do que ficar acordado até tarde para sonhar e gozar com os membros dos outros.

--------------------------------------------------------------------------------

Bom dia Edi!

Assisti o desfile, eu achava que a nossa identidade de Macapá, na cerâmica seria as mulheres louceiras do maruanum. E na questão indígena eu somente conhecia os traços waiapi. Onde podemos encontrar (local/comunidade/tribo) e levar alguém para comprar a arte maracá/marajoara?

Um estado com mais de 70% de população negra, apenas pincelou a nossa contribuição na roupa de baianas com traços maracá.

Tem outras coisas, mas, esta foi à tarefa do nosso movimento e na quarta à tarde vamos promover nosso debate.

Boa banda!

Durica

-----------------------------------------------------------------------------------

O Amapá deveria ser levado no bico de um beija flor gigante, como uma cegonha, todos os corruptos do Amapá, os que roubaram os que roubam e os que estão se assanhando para roubar. Levar ainda um imenso cartaz, com beija-flores virtuais, puxando cada reivindicação e a miséria que este povo vive e vai viver, com a falta de políticas sérias. Cada revoada um saco de ladroagem que iria se espalhando pela Sapucaí. Um, astronauta soltando buracos, que representa a cidade Macapá e os casos de roubalheira dos 40 milhões da saúde, mais os 35 milhões de infra estrutura, mais os bilhões que foram derramados pelos parentes dos parentes dos que estão poder. Mostrar também para o Brasil e para o mundo a pobreza deste Estado, que paga mais de 8 milhões para brincar de Carnaval na Sapucaí e por fim dizer que somos um povo sem vergonha na cara, submissos, medrosos e que aceitamos tudo o que os senhores políticos mandam fazer, inclusive votar neles. Deveria ser representado com uma imensa cuia , pedindo esmola para cobrir os 8 milhões que foram jogados na avenida. Cada membro da Escola deveria ir como uma chapéu na mão para receber as doações e que os chapéus fossem retirados e jogados num saco imenso que todos viessem onde, para evitar outro saque e que fosse depositado imediatamente num carro forte, que entraria disfarçado de carro alegórico. Mas cuidado com que iria dento deste carro.

E no final , a nota seria Macapá : Des pachado, zero. Até que ponto nós chegamos: permitir que o prefeito vá brincar de carnaval na Sapucaí com o nosso dinheiro. São 8 milhões de Reais e tem nego se matando no Big não sei de quê pra ganhar um milhão e milhares de amapaenses querendo apenas um salário mínimo por mês para não morrer de fome ou catar comida na lixeira.