Aniversário de Macapá tem
lançamento de livros

Uma programação, que inclui lançamento de livros, marca o aniversário de fundação da cidade de Macapá, no dia 4 de fevereiro, quando completa 244 anos.

A abertura dos festejos terá início às 6h, com a alvorada festiva, seguida da fanfarra matinal, com café da manhã e caminhada para a Igreja onde, às 8 horas, será celebrada missa em ação de graças na Catedral de S. José, pelo bispo de Macapá dom João Risatti.

Às 9 horas acontece o hasteamento de bandeiras, na Biblioteca Pública, com execução do hino de Macapá, pelas bandas da Guarda Municipal e da Polícia Militar do Amapá. O hasteamento será seguido de pronunciamentos das autoridades presentes, e o coquetel de lançamento das obras "Macapá Recortes Poéticos" e "Histórias do Meu Povo", a primeira uma coletânea de crônicas e poesias sobre Macapá; a segunda, um histórico sobre vivências no Curiaú.

Às 10h, haverá show na Av. Mário Cruz (rua da antiga Intendência), próximo à praça Veiga Cabral, com direito a parabéns, e um bolo comemorando os 244 anos da cidade. Será distribuído o já tradicional caldo, acompanhado de refrigerante.

A partir das 11 h, haverá apresentações da Banda Marcial da Polícia Militar, e a presença de um trio elétrico com músicas carnavalescas, e o lançamento de um CD intitulado "Canto Tucuju", com músicas de artistas regionais.

Entre os artistas "de casa", estão confirmadas as presenças dos grupos "Senzalas", "Negro de Nós", "Gente de Casa" e "Pilão.

Outro ponto é a abertura oficial do Carnaval 2002, na Praça Veiga Cabral, com a presença das baterias das Escolas de Samba. Durante a abertura, será entregue o Cartão Amazônia Celular, com o registro dos 244 anos de Macapá. O prefeito fará a entrega oficial das chaves da cidade ao rei Momo e sua corte.

Bombons da Sol
Bombons de chocolate com recheio de frutas regionais.
Deliciosos,
Pedidos pelos telefones 223 4335 e 9964 7433


Tia Neném
Lanches, sucos naturais e comidas regonais e nacionais.
Tacacá especial.
Tradição de 30 anos.
Cônego Domingos Maltez próximo da Eliezer Levy



 

Jurupary
Ente do mal. Demônio dos olhos de fogo que vive na floresta
Piracema
Época em que cardumes de peixes sobem os rios para a desova
Pedra do rio
Diz a lenda que que são as lágrimas de uma índia que chorava a perda do amado. É onde está a íagem de São José, na frente de Macapá.
Macapá
Vem de Macapaba, ou "estância das bacabas".
Bacaba
Fruto de uma palmeira, a bacabeira. O fruto produz um vinho grosso parecido com o o açai.
Curumim
Menino na linguagem dos índios, expressão adotada pelos brancos em alguns lugares.
Jurupary
O demônio da floresta tem os olhos de fogo, e quem o vê, de frente, não volta para contar a história.
Yara
É a mãe d'água. Habita os rios, encanta com a suavidade da voz, e leva pessoas para o castelo onde mora, no fundo do rio.
Pitiú
Cheiro forte de peixe, boto, cobra, jacaré e
outros animais.
Ilharga
Perto ou em volta de alguma coisa
Jacaré Açu
Jacaré grande.
Jacaré Tinga
Jacaré pequeno
Panema
Pessoa sem sorte, azarada. Rio em peixe.
Sumano
Simplificação da expressão"ei seu mano",que é usada por quem passa pelo meio do rio para saudar quem se encontra nas margens
Caruana
Espíritos do bem que habitam as águas e protegem as plantas os homens e os animais.
Inhaca
Cheiro forte de maresia, de axilas de homem, de peixe ou de mulher
Tucuju
Nação indígena que habitava a margem esquerda do rio Amazonas, no local onde hoje está localizada a cidade de Macapá.
Montaria
Identifica tanto o cavalo como a canoa pequena, de remo.
Porrudo
Grande, enorme, muito forte ou muito gordo
Boiúna.
Cobra grande, capaz de engolir uma canoa.(Lenda)
Massaranduba
Madeira de lei, pessoa grosseira, mal educada.
Acapu
Madeira preta, gente grossa mal educada.