Colégio adota praça pública em Macapá

Dione Amaral

Um termo de cooperação vai possibilitar a revitalização da Praça Wilk Luiz Barbosa de Assis, mais conhecida com a praça do Cabralzinho. O documento foi assinado entre a direção do Colégio Seama e a Associação dos moradores do conjunto Cabralzinho. O projeto denominado “Verde Seama” tem o apoio da Promotoria do Meio Ambiente e Conflitos Agrários do Ministério Público.

“A Promotoria aglutina essas parcerias para revitalizar os espaços públicos e promover o bem comum”, destaca o representante do Ministério Público, coronel Ferreira. A adoção da praça foi feita pelos alunos do 3º ano do Colégio Seama. Três turmas irão participar da ação que irá durar o ano inteiro. O primeiro mutirão aconteceu na manhã dessa terça-feira, 11. “Iremos padronizar a vegetação e plantar espécies típicas da região como o açaí e o Buriti”, planeja o professor de Biologia do Colégio, Jaderson Soares.

Metodologia



Os alunos foram divididos em oito equipes responsáveis por determinadas áreas da praça. Eles irão avaliar o que precisa ser feita em cada espaço. São orientações que vão desde pintura ao plantio de árvores. “É uma oportunidade de valorizar tanto o patrimônio histórico quanto o cultural da nossa sociedade”, explica o professor de História, Carlos Aragão Júnior.

O projeto objetiva criar um plano de desenvolvimento e manejo ambiental que identifica os problemas e as soluções para a redução de impactos ambientais, decorrentes da interação do visitante com a praça adotada pelo Colégio Seama. “Este trabalho favorece a construção de uma consciência mais humanitária e de preservação do meio em que se vive e se planeja de futuro”, finaliza Favacho.

Projeto

O projeto Verde Seama inclui ações como mutirões, cursos, palestras, oficinas de Educação Ambiental, gincana ecológica, abordagem corpo-a-corpo, apresentação de vídeos ambientais, distribuição de cartilhas temáticas, campanhas sócio-educativas, passeios ecológicos e visitas guiadas. “Esta sendo uma excelente experiência vivenciar os estudos de sala de aula num espaço como a praça do Cabralzinho”, afirma o aluno Hermann Salzer. A próxima ação está prevista para acontecer no dia 22.