Deputado vai processar governo do PDT por paralisação de obras.

Objetivo é obrigar o governo a concluir e operacionalizar o Hotel-Escola Bosque do Bailíque e as escolas técnicas da madeira e da pesca no distrito industrial em Santana.

A ida do governador Waldez Góes (PDT) ao arquipélago do Bailique, no último final de semana, para inauguração de 04 (quatro) escolas nas comunidades de Arraiol, Igarapé Grande do Curuá, Macaco de Fora e Freguesia, festejada pela base do governo na AL como um marco para o distrito, foi contestada pelo deputado estadual Camilo Capiberibe (PSB). O motivo da crítica do socialista se baseou no fato de se estar festejando a inauguração de quatro escolas sendo duas de uma sala de aula e outras duas teriam duas salas de aula apenas, o que para o socialista não pode ser considerado revolucionário.

A controvérsia foi suscitada pelas duras críticas direcionadas pelo líder do governo ao Hotel-Escola Bosque construído no governo do PSB e abandonado pelo PDT. Roberto Góes disse que conheceu o Hotel-Escola na visita e que, na ocasião, teria ouvido de uma liderança que aquele empreendimento não teria sido discutido com a comunidade e que, se ouvida, a população do Bailique teria optado por outro investimento.

Camilo Capiberibe disse, citando a presença do líder comunitário do arquipélago, Paulo Rocha, que o deputado do PDT era mal informado vez que demorou seis anos para constatar o abandono de um projeto de educação e desenvolvimento econômico.

O Hotel-Escola, sustentou o deputado do PSB, não apenas foi fruto de um debate como era o resultado do desejo legítimo de desenvolvimento do povo do Bailique. Camilo disse que o PSB acreditava no potencial do projeto e disse ainda que se a comunidade estivesse satisfeita com o governo Waldez teria votado nele em 2006, ocasião em que votou majoritariamente no candidato do PSB.

Educação na floresta - Outro fato que foi esquecido pelo governo Waldez situa-se num projeto que tirou o arquipélago do isolamento a Escola-Bosque que segundo informações do povo da região se encontra abandonado. “A escola-bosque, além de inaugurar um método educacional revolucionário, ainda teve a ousadia de levar o ensino do segundo grau ao arquipélago distante”, disse Capiberibe.

O Hotel-Escola Bosque, por sua vez, foi arquitetado dentro da floresta amazônica, como um hotel de selva, em uma área equivalente a 03 (três) mil m², e construído com mão-de-obra local, foi finalizado ao custo de R$1,5 milhão, através de verbas federais, com capacidade para hospedar 47 pessoas distribuídas em 12 chalés.

O Hotel foi projetado ainda para se transformar em um centro de formação, com o objetivo de ensinar os jovens a trabalhar na área do eco-turismo. Porém, atualmente o prédio está abandonado e vem sendo destruído pelo tempo, em face ao descaso que o atual governo impôs. Camilo Capiberibe lamentou ainda o abandono da três fábricas construídas no arquipélago pelo governo do PSB.

Processo - o deputado Capiberibe finalizou seu discurso anunciando que entrará com ações cíveis ou públicas contra o governador Waldez Góes na justiça federal para que ele finalize a construção do Hotel-Escola e das escolas técnicas da Pesca e da Madeira no distrito industrial no Município de Santana. “Estes empreendimentos poderiam estar oferecendo educação para o desenvolvimento econômico mas, infelizmente, foram paralisados pelo governo PDT assim que Waldez assumiu o poder.

Raul Mareco