Governo libera dinheiro de
convênios
para obras em Macapá

De janeiro deste ano para cá, o Governo do Estado repassou cerca de R$ 16, 5 milhões à Prefeitura Municipal de Macapá (PMM), através da assinatura de convênios. Segundo técnicos da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz), o dinheiro é utilizado em execução de obras e serviços públicos, apoio a atividades realizadas pela PMM, aquisição de equipamentos, atendimento a crianças, adolescentes e idosos em situação de risco pessoal e social, entre outros.

Na sexta-feira, 03, serão repassados cerca de R$ 5,8 milhões, já incluídos na soma global. A Sefaz informou que o repasse de R$ 3, 2 milhões será feito pela Secretaria de Estado de Planejamento e Coordenação Geral (Seplan); R$ 1 milhão pela Secretaria de Transportes; R$ 283 mil pela Secretaria de Agricultura, e R$ 90 mil pela Secretaria de Saúde.

ASFALTAMENTO - Do total de recursos repassados à Prefeitura de Macapá, R$ 1 milhão será empregado na compra de insumos para a produção de massa asfáltica que será utilizada na pavimentação de 133 mil m2 de vias públicas de da cidade de Macapá.

Com outro repasse, de R$ 415 mil, a prefeitura irá custear a construção de aterro controlado em Macapá. Cerca de R$ 780 mil são destinados ao serviço de revitalização e construção do Parque General Euclides Figueiredo (complexo Beira Rio); R$ 407 mil, na construção de abrigos de passageiros; R$ 360 mil, na construção do Horto Municipal de Macapá; R$ 1, 1 milhão custeará serviços de limpeza e manutenção de logradouros públicos da cidade, e R$ 647 mil vão custear serviços de coleta de resíduos sólidos da cidade, entre outros.

CAIXA ESCOLAR - O Governo do Estado repassa ainda R$ 701 mil, através do Caixa Escolar, entre as seguintes instituições: Associações das Famílias da Escola Família Agrícola da Região do Pacuí; Associação da Escola das Famílias Agrícola da Perimetral Norte; Associação da Escola Família Agrícola do Carvão, em Mazagão e Associação da Escola Família Agrícola Agro-Extrativista do Maracá. O destino do dinheiro, segundo a Sefaz, será praticamente o mesmo: aquisição de merenda escolar, pagamento de pessoal e encargos sociais, manutenção (compra de material de limpeza, didático, realização de serviços, aquisição de combustível e manutenção de veículo).
( Edy Wilson )

Bombons da Sol
Bombons de chocolate com recheio de frutas regionais.
Deliciosos,
Pedidos pelos telefones 223 4335 e 9964 7433


Tia Neném
Lanches, sucos naturais e comidas regonais e nacionais.
Tacacá especial.
Tradição de 30 anos.
Cônego Domingos Maltez próximo da Eliezer Levy



 

Catinga de mulata
Catinga é cheiro ruim, mas "Catinga de mulata"é cheiro bom, tanto que virou nome de perfume nos idos dos anos cinquenta
Remanso
Ponto onde o rio se alarga, a terra forma uma reentrância e as águas ficam mais calmas
Bubuia

Aquelas minúsculas bolhas de espuma que se formam na corrente do rio. Viajar de bubuia é ser levado pelas águas. "De bubuia, título de canção popular.
Piracema

Época em que cardumes de peixes sobem os rios para a desova
Pedra do rio
Diz a lenda que que são as lágrimas de uma índia que chorava a perda do amado. É onde está a íagem de São José, na frente de Macapá.
Macapá
Vem de Macapaba, ou "estância das bacabas".
Bacaba
Fruto de uma palmeira, a bacabeira. O fruto produz um vinho grosso parecido com o o açai.
Curumim
Menino na linguagem dos índios, expressão adotada pelos brancos em alguns lugares.
Jurupary
O demônio da floresta tem os olhos de fogo, e quem o vê, de frente, não volta para contar a história.
Yara
É a mãe d'água. Habita os rios, encanta com a suavidade da voz, e leva pessoas para o castelo onde mora, no fundo do rio.
Pitiú
Cheiro forte de peixe, boto, cobra, jacaré e
outros animais.
Ilharga
Perto ou em volta de alguma coisa
Jacaré Açu
Jacaré grande.
Jacaré Tinga
Jacaré pequeno
Panema
Pessoa sem sorte, azarada. Rio em peixe.
Sumano
Simplificação da expressão"ei seu mano",que é usada por quem passa pelo meio do rio para saudar quem se encontra nas margens
Caruana
Espíritos do bem que habitam as águas e protegem as plantas os homens e os animais.
Inhaca
Cheiro forte de maresia, de axilas de homem, de peixe ou de mulher
Tucuju
Nação indígena que habitava a margem esquerda do rio Amazonas, no local onde hoje está localizada a cidade de Macapá.
Montaria
Identifica tanto o cavalo como a canoa pequena, de remo.
Porrudo
Grande, enorme, muito forte ou muito gordo
Boiúna.
Cobra grande, capaz de engolir uma canoa.(Lenda)
Massaranduba
Madeira de lei, pessoa grosseira, mal educada.
Acapu
Madeira preta, gente grossa mal educada.