PSB inicia discussões para elaboração do seu Programa de Governo

O Partido Socialista Brasileiro realizou ontem, 17, o primeiro encontro do partido para construir um programa de governo para o Município de Macapá. Técnicos de várias áreas compareceram à sede do partido no bairro do Laguinho para levar informações e idéias ao evento, que contou com uma apresentação do ex-secretário da Fazenda do Governo do Estado, Claudio Pinho Santana sobre os gastos e receitas municipais. O líder comunitário do Bailique, Paulo Rocha, ressaltou durante o evento que o orçamento é peça fundamental na disputa política, “se não tiver orçamento, não tem disputa política”, diz o líder comunitário.

A primeira reunião teve como objetivo promover um nivelamento de informações a respeito da Prefeitura de Macapá e da Câmara de Vereadores do Município.
O partido está propondo construir um programa de governo municipal realista com base no orçamento da prefeitura, segundo o presidente do PSB no Amapá, João Capiberibe “Nós vamos levantar as informações a partir dessa reunião para então tirar comissões temáticas, que a partir dos dados do orçamento municipal vão formular o programa de governo para o PSB de Macapá”.



O orçamento da Prefeitura Municipal de Macapá - PMM - para esse ano de 2008 corresponde a um quinto do orçamento do Governo do Estado, ou seja, a PMM dispõe de R$ 382 milhões. Nos últimos anos o orçamento da PMM cresceu a percentuais elevadíssimos e hoje ela conta com dinheiro suficiente para atender de uma forma bastante razoável às políticas municipais. Por exemplo, na área da educação, a prefeitura tem R$ 84 milhões, “se a gente calcular pelo número de alunos na educação municipal, significa que a prefeitura tem tanto dinheiro quanto a iniciativa privada, ou seja em torno de R$ 230 a R$ 250 reais para gastar por criança e por mês numa educação de qualidade, apesar da quantidade de recursos, não é isso que a gente está vendo na prefeitura.”

O PSB pretende elaborar primeiro o programa de governo para depois escolher o nome do partido à sucessão municipal. “Depois que o programa estiver elaborado nós vamos escolher o candidato para disputar a eleição e implantar esse programa a partir do ano que vem”, diz Capiberibe, “o PSol é nosso parceiro preferencial, já há uma definição de que essa coligação vai acontecer com o PSol e nós estamos conversando com outros partidos, com o PPS, o PMN em busca de ampliar as nossas alianças”, conclui o presidente do PSB.

Assessoria de Comunicação PSB/AP.