MANIFESTAÇÃO DE PROTESTO

Ruy Guarany Neves

Parentes das vítimas dos vôos 1907 da Gool e 3054,da TAM, realizaram neste sábado ,29, manifestação de protesto, contra a falta de informações sobre o andamento dos inquéritos. Reclamam, que, até agora, ninguém foi punido, mesmo sabendo-se de que existem culpados pelas tragédias, que ceifaram a vida de 353 passageiros dos aviões sinistrados.As manifestações ocorreram nos aeroportos Eduardo Gomes, em Manaus, Congonhas, em São Paulo e Salgado Filho, em Porto Alegre,com grande participação dos parentes das vítimas e populares. Os manifestantes exibiram várias faixas com dizeres de alerta as autoridades, diante da lentidão das apurações.

A manifestação de protesto, aconteceu no momento em que a Agencia Nacional de Aviação Civil (ANAC), divulgava na Internet, a listagem dos aeroportos considerados de risco, no total de 179,dos quais, 67 são administrados pela INFRAERO. Sem citar os locais desses aeroportos, a ANAC poderá optar pela interdição para aviões de grande porte, até que providencias sejam tomadas ,no sentido de oferecer a indispensável segurança , ao pouso e decolagem dos aviões. Estão na mira da ANAC, os aeroportos situados em áreas urbanas das cidades.

Em se tratando de aeroporto de risco, é bom lembrar, que o aeroporto de Macapá, além de se encontrar em área urbana, não possui equipamentos de segurança. Hoje, apenas os aeroportos situados nos grandes centros, possuem o equipamento que detecta o vento cruzado, que pode criar problemas durante om pouso e decolagem dos aviões. Devido o seu custo elevado, poucos aeroportos brasileiros são servidos por esse dispositivo de segurança.

A INFRAERO falhou ao optar pela permanência do atual aeroporto sw Macapá, mesmo sabendo de que, existia uma área apropriada, afastada da cidade, onde poderia construir um novo aeroporto. O resultado está aí: Muitos recursos públicos desviados em operações fraudulentas, obra paralisada e até agora, os beneficiários da corrupção, não foram punidos. Presos pela Polícia Federal, os dirigentes do consórcio Guatama-Beter, estão soltos e a única punição, se restringiu na impossibilidade da empresa atuar em obras do setor público. O pior poderá acontecer, se a ANAC, que tem poder de decisão, vir a decretar a interdição do aeroporto.