Embrapa apresenta, na Câmara Federal, programa de pesquisa e utilização de sorgo para etanol

Investimento contínuo nas pesquisas com sorgo é fundamental para que a cultura se firme como uma das alternativas para produção de etanol, disse a Chefe Geral da Embrapa Milho e Sorgo, Vera Maria Carvalho Alves durante a audiência pública na Câmara dos Deputados em Brasília, no dia 06 de abril. Na ocasião, Vera Alves, respondendo aos questionamentos dos deputados, informou que são necessários recursos em torno de 2 milhões de reais para estruturar os laboratórios e comprar equipamentos, como colheitadeiras. O sorgo é uma cultura muito importante no mundo e no Brasil, há cerca de 900.000 hectares plantados com sorgo granífero, usado, principalmente para alimentação de suínos e aves. “O programa de pesquisa da Embrapa já apresentou muitos resultados. “No Brasil cerca de 20% das sementes plantadas são de variedades desenvolvidas pela Embrapa”, salientou.

Segundo as informações dos cientistas da Embrapa Milho e Sorgo, unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária situada em Sete Lagoas (MG), com a cultura do sorgo há três opções para produzir etanol: a partir do caldo obtido pelo esmagamento do colmo do sorgo sacarino, a partir dos grãos do sorgo granífero, uma rota tecnológica utilizada nos Estados Unidos e a partir da biomassa do sorgo forrageiro, que aproveita o material lignocelulósico e é chamado de etanol de 2ª geração.

No inicio da década de 80, houve incentivo das pesquisas com o sorgo sacarino, que chegou a ser utilizado em microdestilarias, mas, naquela época, os estudos foram interrompidos. Em 2007, a Embrapa retomou o programa de pesquisa de sorgo sacarino. “A forma que decidimos conduzir as pesquisas foi trabalhar junto com as usinas produtoras de etanol”, afirmou o pesquisador João Carlos Garcia. “Estamos trabalhando em conjunto com uma destilaria de grande porte, no norte de Minas Gerais. Neste ano serão plantados 12 hectares de sorgo sacarino, em período complementar ao da cana-de-açúcar.”.

Com relação à cultura, a Embrapa pretende lançar entre 4 a 5 anos os híbridos, que segundo o pesquisador Robert Schaffert, são os mais recomendados para a produção de sorgo forrageiro. O sorgo é uma cultura de ciclo curto, e é uma alternativa da entresafra da cana-de-açúcar. Além disso, possui menos lignina na composição da parede celular, o que é uma vantagem na fase do processo. Em comparação a cana-de-açúcar possui quatro vezes menos. “O sorgo é uma verdadeira fábrica de energia”, disse ele, salientando que são necessários investimentos em tecnologia desde o sistema de produção da cultura do sorgo até o de conversão dessa biomassa em energia.

Para desenvolver estas tecnologias, a Embrapa Milho e Sorgo conta com a parceria de universidades e outras unidades da empresa, como a Embrapa Agroenergia e a Embrapa Cerrados e de instituições dos Estados Unidos, França, Itália.

Neste caso, a engenharia química e pesquisadora da Embrapa Agroenergia, Silvia Belém, reforçou que a empresa está trabalhando projetos em redes de pesquisa focando a melhoria do sorgo para quantidade e qualidade da biomassa para fins energéticos. Isto resulta em melhoria de eficiência de processos de conversão de biomassa de sorgo em energia, seja etanol ou co-geração de calor e bioeletricidade. O processo de conversão é dependente das características da matéria-prima e de eficiência de sistemas enzimáticos para a produção de moléculas simples de açúcar fermentecíveis como a sacarose e a glicose, destaca a pesquisadora.

A audiência pública foi solicitada pelo deputado Duarte Nogueira e promovida por duas Comissões: a de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural e a de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática. De acordo com o Deputado, com as informações apresentadas será elaborado um relatório a ser enviado aos membros das Comissões, a diversas entidades da sociedade e a associações de produtores de matérias-primas e de etanol.

O Deputado convidou a Embrapa a participar, no dia 30 de abril, do Agrishow 2010 em Ribeirão Preto - São Paulo para apresentar as informações sobre a utilização do sorgo para etanol aos participantes. Também neste mês, entre os dias 18 e 20, a Embrapa Milho e Sorgo promove, em Sete Lagoas, um workshop internacional de produção de sorgo para o etanol. Informações sobre esse evento poderão ser obtidas pelo endereço [email protected]

 

Embrapa Agroenergia
Agroenergia: foco em soluções - da biomassa à energia
Internet: www.cnpae.embrapa.br
[email protected]
http://twitter.com/cnpae
Jornalista responsável: Daniela Garcia Collares (MTb/114/01 RR)
E-mail: [email protected]
Tel: (61) 3448-1581