Mulheres lutam por igualdade na representação política


Brasília, 13/06/2007 - A bancada feminina do Congresso Nacional e o Conselho Nacional dos Direitos da Mulher, com apoio da Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres, manifestaram-se pela maior participação feminina a partir da reforma política. O Projeto de Lei 1.210/07 está sendo analisado pela Câmara dos Deputados. As mulheres defendem a igualdade entre homens e mulheres na ocupação das vagas em cargos públicos.

“Somos a maioria do eleitorado (52%) mas nossa presença não passa de 8,77% na Câmara e 12,3% no Senado. O estado do Amapá é o único onde mulheres e homens dividem igualmente as vagas na Câmara Federal. Isso é inédito entre as bancadas do Congresso, nas Assembléias e nas Câmaras de Vereadores mas precisa se espalhar pelo país”, enfatiza a deputada Janete Capiberibe (PSB/AP). Segundo a organização Inter-Parliamentary Union, o Brasil ocupa a 107º posição mundial em presença feminina nos parlamentos nacionais.

Outra proposta das parlamentares reserva parte dos recursos partidários para as candidatas mulheres. O terceiro ponto defendido pela bancada feminina reserva 30% do programa eleitoral anual dos partidos para que as mulheres.

“Nem menos, nem mais: apenas iguais”. Este é o slogan da manifestação, que incluiu a distribuição de uma carta aos parlamentares, na qual são reivindicados lista pré-ordenada com alternância de sexo (um homem, uma mulher), cota de 30% na propaganda eleitoral gratuita no rádio e TV para candidaturas femininas, destinação obrigatória de 30% dos recursos do Fundo Partidário para os organismos de mulheres de cada partido político e financiamento público das campanhas eleitorais.

O ato público reuniu cerca de 200 pessoas, ao meio-dia desta quarta-feira, em frente à rampa do Congresso. Durante todo o dia as manifestantes distribuíram cartas aos parlamentares pedindo a adoção de medidas pela representação igualitária nas esferas do poder público. Senadoras, deputadas federais e a ministra da Secretaria Especial de Políticas para Mulheres Nilcéia Freire participaram do ato.


Sizan Luis Esberci