MOSTRA SOBRE A VIDA DE SÃO BENTO EM MACAPÁ


O Movimento Católico Comunhão e Libertação traz a Macapá a exposição Num só Corpo, sobre a vida e regra de São Bento. A mostra é composta de 50 painéis (1,00m x 0,70m) com pinturas, fotos e textos que retratam não só a vida, mas o contexto histórico da época em que viveu São Bento, sua importância e influência para a cultura do mundo ocidental.

A mostra estará exposta de 19 a 27/06/2007, no mezanino da Universidade Estadual do Amapá-UEAP e estará aberta a visitação de segunda a sexta no horário de 08:00 às 21:00 h, sábado e domingo de 09:00 às 18:00h. Haverá agendamento para visitas guiadas para grupos pelos telefones: 3222-2635/3241-4994/9971-0340.

São Bento, uma tradição vivente.

"Há alguém que deseje a vida e procure dias felizes?" Esta pergunta, que propõe um desafio para cada um de nós, encontra-se nesta mesma redação também no prólogo da Regra de São Bento, escrita 15 séculos atrás, e por sua vez, ele a retoma do antigo Salmo 33, confirmando assim a unidade do ser humano. Na Regra, é o Senhor que nos faz esta pergunta e nos convoca para o trabalho.

São Bento comenta: "Se você, ouvindo-o, responder `Sou eu`, Ele vai ser tudo para você, e mesmo antes de você o invocar, Ele está aqui presente." E termina: "Porventura, existe algo mais agradável para nós, do que esta voz do Senhor que nos convida? Eis que em sua misericórdia Ele nos mostra o caminho da vida."

A exposição sobre São Bento, organizada pelo Mosteiro da Cascinazza, pretende ser uma tentativa de resposta a esta pergunta hoje, e no mesmo tempo pretende comunicar toda a misericórdia e a doçura da fidelidade de Deus para conosco. Só mesmo o poder da presença do Espírito é que pode atingir a consciência do ser humano e convertê-lo para a novidade de Cristo.

Este poder opera sempre no interior de algo que o contém como um sinal: o primeiro destes sinais é a união visível daqueles que tem fé nEle.

A nossa vida monástica pretende ser o testemunho desta união, que embora impossível ao homem, é possível para Deus, até se apresentar como um verdadeiro milagre. E quanto mais o tempo parece afastar-nos do começo, tanto mais este como se torna empolgante e emocionante por causa da experiência de totalidade que encerra em si, impulsionando-nos para uma constante volta para ele, para novamente apreciarmos a sua novidade, e retomarmos força e determinação. Desta forma, à medida que o tempo que passa - em vez de nos separarmos - cada vez mais nos aproximamos da experiência originária do nosso ser.

A exposição sobre São Bento, portanto, é uma ajuda para redescobrir o começo daquilo que hoje somos, para que possamos enfrentar a realidade com a consciência clara daquilo que conosco estamos carregando. É preciso prestar atenção àquilo que aconteceu, e que continuamente vem re-acontecendo.

(Os Monges do Mosteiro da Cascinazza)