Fisioterapia identifica na água a cura para saúde do corpo e da mente

Joicilene Santos

A busca pela cura de doenças e sensações de bem estar do corpo e da mente impulsiona muitas pessoas à prática de exercícios, mudança de hábitos alimentares e rotinas. Não há limites para quem quer estar de bem com a vida e com a saúde. Essa busca conta com um recurso chamado de Hidroterapia.

A Hidroterapia é uma forma de expandir a profundidade e abrangência das opções de tratamento por parte do fisioterapêuta e melhorar as perspectivas de recuperação para muitos indivíduos através da prática de exercícios dentro da água. Embora a técnica não seja muito conhecida, profissionais da área acreditam que ela é o caminho para muitas curas.

“Entrar na água é uma experiência única, em que o corpo encontra-se simultaneamente sob duas forças, a gravidade e o empuxo. Grande parte dos indivíduos não tem o hábito de refletir sobre a experiência de realizar movimentos dentro da água e se quer imagina que isso permite a realização de diversas habilidades, impossíveis em terra”, relata a coordenadora de Fisioterapia da Faculdade Seama, Bianca Callegari.

Conhecer e praticar a Hidroterapia, a utilização da água para terapia física, é uma das indicações para quem possui fraturas, entorses e precisa realizar sua reabilitação pós-operatória e patologias de diversas áreas como ortopedia, neurologia, pneumologia e cardiologia. Os resultados aparecem por meio dos princípios físicos que provocam nos pacientes respostas fisiológicas.

“Os exercícios dentro da água podem trazer benefícios incalculáveis: alívio da dor e espasmos musculares, manutenção ou aumento da amplitude de movimento articular, fortalecimento muscular e treino de resistência, a reeducação motora, a melhora na circulação e diminuição de edemas além da manutenção e melhora do equilíbrio fazem parte dos benefícios da Hidroterapia”, explica Bianca Callegari.

A Hidroterapia possibilita a sensação de bem estar físico e psicológico além do encorajamento na realização de atividades antes temidas. “Todo paciente que sofreu lesão ou doença grave desenvolve certas reações psicológicas adversas como perda de atividade cognitiva e mental, confiança, respeito e dignidade próprios. Nesses casos, as atividades hidroterápicas podem estimular e devolver a qualidade de vida ao paciente, tirando-o da clausura”, explicou a coordenadora.

A prática pode ser realizada em idades diferentes, da criança ao idoso. A técnica é uma das disciplinas específicas do curso de Fisioterapia da Faculdade Seama. A instituição dá ênfase a essa nova perspectiva para formar profissionais atualizados às tendências e necessidades dos pacientes que utilizam uma forma prazerosa de reabilitar os pacientes e encorajá-los à recuperação.

Os exercícios


As atividades de Hidroterapia devem ser realizadas em piscina aquecida e coberta, com orientação total e restrita ao profissional de Fisioterapia. Eles usam técnicas de reabilitação, como o Watsu, Bad Ragaz, e Halliwick associadas às propriedades físicas da água. O paciente deve procurar uma Clínica adequada com fisioterapeutas registrados e devidamente credenciados para desenvolver tais atividades.