ASSEMBLÉIA DE DEUS A PIONEIRA COMEMORA 92 ANOS DE FUNDAÇÃO

Heraldo Costa


Em 1909, dois jovens suecos, Gunnar Vingren e Daniel Berg, residentes nos Estados Unidos, foram ali batizados no Espírito Santo. Ao mesmo tempo, em suas orações tiveram a chamada missionária e chegaram ao nosso País, a Belém do Pará, em 19 de novembro de 1910. Esses consagrados homens de Deus, com um pequeno e humilde grupo de crentes, fundaram, em 18 de junho de 1911, a Missão da Fé Apostólica, rebatizada, em 11 de janeiro de 1918, como Assembléia de Deus.

Nas primeiras décadas de sua existência no Brasil, as Assembléias de Deus foram impiedosamente discriminadas, alvo de incontáveis hostilidades. Não poucos daqueles irmãos pioneiros foram agredidos, feridos pelo amor de Cristo e até em prisões estiveram. A firmeza de sua fé e os princípios éticos ensinados na igreja, praticados pelos seus líderes e membros, foram, porém, modificando o conceito sobre as Assembléias de Deus, de parte dos que não entendiam as visíveis marcas da presença do Espírito Santo na vida dos crentes.

Atualmente, em todas as unidades da Federação, as Igrejas Evangélicas Assembléia de Deus passaram a ser tratadas com apreço pelas nossas autoridades e, de seu próprio seio, vêm surgindo importantes lideranças. A partir dos pobres e desprezados subúrbios e das zonas rurais, a Igreja, antes integrada quase exclusivamente por pessoas das classes mais humildes, estendeu-se para as áreas nobres das grandes cidades, alcançando, também, a classe média. Incontável número de líderes comunitários, de vereadores, de vice-prefeitos, de prefeitos, de deputados estaduais e federais, como também de professores, de oficiais militares, de magistrados, membros do Ministério Público, de empresários e profissionais liberais são, agora, membros da Igreja Evangélica Assembléia de Deus.

Essa ascensão social e essa contribuição, no sentido da conquista da cidadania e da dignificação do ser humano que a conversão a Cristo proporciona, chegou a ser reconhecida inclusive pela escritora Rachel de Queiroz, membro da Academia Brasileira de Letras, que focalizou o avanço dos crentes em artigo publicado pela imprensa, no qual consta o seguinte:

Os jovens que viviam como bichos no dizer dos velhos, sem doutrina, sem ensino, hoje, vivem como gente, se entregam a Jesus, cantam hinos, falam línguas, assumem novo status e os velhos atiram-se sofregamente às novas práticas, como recuperando o tempo perdido. Vale a pena ver a dignidade com que se cumprimentam: 'A paz do Senhor!' Sentem-se membros honrados de uma comunidade, não vivem mais em abandono.

No Amapá, a Assembléia de Deus chegou em 1916, através do Missionário CLÍMACO BUENO AZA. Esse missionário chegou até ser preso por pregar uma 'nova religião'. Mas em 27 de junho de 1917, o Pastor JOSÉ DE MATOS iniciou oficialmente os trabalhos, com seis pessoas. Neste ano a Pioneira completa 92 anos de fundação, sendo a terceira igreja mais antiga do Brasil.

Importante frisar que o dia 27 de junho passou a ser, através de Lei Estadual, o Dia da Assembléia de Deus.

Em seu penoso início, a Igreja Assembléia de Deus reunia-se na casa de poucos irmãos, de cujas famílias alguns ainda vivem, vindo a se instalar definitivamente alguns anos depois no local onde funciona até hoje na Rua Tiradentes.

Nos primórdios, para chegar àquele local, distante da vila de Macapá que limita-se aos arredores da Fortaleza, caminhava-se pelo meio do mato (em direção aos campos do laguinho), em caminhos que levavam ao local das reuniões, antes uma casa de farinha.

A Igreja foi-se estruturando e se organizando à medida que os pontos de pregação foram aumentando.

Contudo, foi com o Pr. OTONIEL ALVES DE ALENCAR, que chegou ao Estado em 1962, que a Assembléia de Deus ganhou impulso. Ao chegar aqui, Pastor Otoniel organizou departamentos, fundou congregações, consagrou pastores, fundou a Convenção e trabalhou duro para o fortalecimento até o dia de seu falecimento em abril de 1994.

Tenho a certeza de que todos saberemos reconhecer o seu trabalho ao lado de renomados servos de Deus que, no lapso desses 92 anos, pregaram o Evangelho, fazendo crescer a denominação, bem como muitas outras que surgiram posteriormente, todas preocupadas em levar o Evangelho, que liberta da escravidão do pecado centenas de milhares de pessoas, não somente no Amapá, mas também em outros países da América, Europa e África.

Hoje a condução da igreja Pioneira está nas mãos do Rev. Dr. Oton Miranda de Alencar, que em quinze anos alargou fronteiras e alcançou todo Amapá com o evangelho.

A assembléia de Deus acolhe a todas as classes sociais, dá sentido e impulsiona o processo de conversão no qual se valoriza a individualidade.

É oportuno enfatizar que a Igreja fundada por Daniel Berg e Gunnar Vingren tem, entre os seus milhões de fiéis, muitas centenas, talvez milhares, que foram resgatados da marginalidade pela mensagem poderosa e libertadora do Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Nenhum programa de governo jamais alcançou, nem de longe, tantos desajustados sociais, alcoólatras, dependentes do tabaco, da maconha ou da cocaína. A Assembléia de Deus, que não fica à mercê do Poder Público, sempre trabalhou incansavelmente na recuperação de vidas, o que infelizmente nem sempre é reconhecido pelas nossas autoridades. Inúmeras creches, obras sociais e escolas são mantidas pela própria comunidade.

Além do extraordinário trabalho social, a maior realização da Igreja Evangélica Assembléia de Deus é a transformação de vidas, a evangelização de uma pessoa muitas vezes marginalizada, destituída de valores íntimos, transformando-a, por meio da pregação da palavra de Deus, em uma pessoa de respeito, em um bom cidadão brasileiro. Tudo isso graças ao trabalho ungido pelo Espírito Santo de Deus.

Não apenas no aspecto social e de transformação de vidas, como também no aspecto histórico, somos os pioneiros na maior transformação realizada através da evangelização neste País.

Nós, os evangélicos, podemos afirmar que fomos os primeiros a levar a Bíblia Sagrada para o meio do povo. É um trabalho inestimável!

Somos também os pioneiros na evangelização objetiva, em um linguajar claro e em Língua Portuguesa. Em nossos cultos, louva-se, glorifica-se e canta-se a Deus e todas as pessoas que entram no recinto e participam da cerimônia saem dali sabendo o que foi realizado. Fizemos escola.

Temos hoje no Brasil, graças a Deus, em várias denominações e em várias casas de oração, cultos parecidos com os que foram instituídos pela Assembléia de Deus, com louvores, com acordeões, com gaitas, com violões e com aquele famoso Aleluia! que assustava muitos e que, atualmente, tomou conta dos estádios e das igrejas.

Hoje, as autoridades que participam conosco das cerimÿnias repetem Aleluia! Glória a Deus e a Paz do Senhor!

Para comemorar essa data, preparamos uma grande festa, que começou dia 23 no Templo Sede da Tiradentes e vai até domingo no Avertino Ramos, contando com grandes nomes da música evangélica como Shirley Carvalhaes, Bruna Karla e Robinson Monteiro.

Comemoremos pois tão importante marco pois, nenhum instituição chega a 92 anos se não tiver credibilidade, honradez e seriedade.