Amapá tem campanha contra pirataria

A Faculdade Seama produziu todo o material publicitário da campanha

Joicilene Santos

O sindicato das empresas de locação de fitas gravadas em vídeo cassete do estado do Amapá (SINDVIDEO-AP) lançou nesta segunda-feira, 25, a campanha “Pirataria é Crime! Só uso original”. O lançamento acontece no auditório da Federação do Comércio às 9h.

A campanha é fruto de várias parcerias com instituições e empresas do setor privado. Todo o material gráfico da campanha como folder, cartaz, outdoor, adesivo e VT foram elaborados pela Faculdade Seama, através de seu Núcleo de Comunicação, i9.com.

“A campanha é uma causa que precisa ser abraçada por toda sociedade. A população deve saber os riscos que corre ao comprar ou mesmo praticar a pirataria, a danificação de seus aparelhos, produtos sem qualidade e a perda de empregos formais. A Seama não poderia deixar de apoiar uma causa como está e conscientizar nossos acadêmicos sobre esse crime”, explicou o diretor geral da Faculdade Seama, Carlos Scapin.

Sobre a Pirataria

A Pirataria se caracteriza como violação aos direitos de criação. É uma atividade ilegal crescente no Brasil e no mundo. Ela é amparada pela Lei de Direito Autoral Lei 9.610, de 19 de fevereiro de 1998.

São inúmeras as conseqüências da Pirataria, entre elas estão a perda de empregos formais, a ausência de um layout atraente, o risco de danificar o leitor óptico dos aparelhos, a péssima qualidade áudio-visual, além de ser uma ação que causa grandes danos à economia.

No folder da campanha, são identificados sete tipos de “piratas”. O capitão gancho, considerado o pior de todos; o capitão gerson, pessoa que vende os computadores super equipados com os softwares de gravação; o pirata bonachão que possui os softwares originais e empresta para os amigos; o pirata teen, adolescente que entra no esquema de gravação de DVD; o pirata caseiro, grande parte das pessoas, são os consumidores dos produtos piratas e por último, o pirata o involuntário que recebe material por desinformação.

A campanha contra a pirataria é construída intensivamente com informações detalhadas presentes em várias peças publicitárias que estarão expostas à sociedade. A pirataria é crime, quem souber de alguma prática deve denunciar no número (96) 3212 1821 ou pelo site www.mp.ap.gov.br.