CPI da CEA já!

Em artigo recente, o Sr. Said Barbosa Dib soi-disant, articulista, alega que a defesa que faço da criação e instalação imediata da CPI da CEA é acertada. Aliás, diz Dib literalmente no título do seu artigo, publicado neste Diário do Amapá na última quarta-feira, 27 de junho: "CEA: Camilo Capiberibe está certíssimo". Receio ter que admitir, sem falsa modéstia, que estou mesmo.

Estou certo em pedir a CPI e darei as minhas razões que são bem diferentes das que o sr. Dib, assessor parlamentar do senado da república, apresentou em seu artigo. CPI da CEA já, simplesmente, pois quem não deve não teme. CPI da CEA já, pois sem força investigativa os desmandos cometidos dentro da empresa desde 2003 jamais virão a público. CPI da CEA já, pois a Aneel, Agência Nacional de Energia Elétrica, pediu ao Ministério de Minas e Energia a decretação da caducidade da concessão da CEA o que significa que esta empresa que pertence ao povo do Amapá será arrancada de nossas mãos e entregue a sabe Deus quem, que irá utilizá-la para auferir lucros sem ter a necessária e até hoje presente preocupação social.

CPI da CEA já, pois funcionários serão demitidos e tarifas serão majoradas. CPI da CEA já, pois no governo Waldez, justamente no período em que a companhia foi adminstrada pelo PDT, na pessoa do Sr. Adauto Bittencourt, a dívida com a Eletronorte, cujos juros extorsivos envergonham até o FMI, foi reconhecida como sendo legítima e aceita sem discussão pelo governo do estado. CPI da CEA já, pois no governo do PDT a dívida da empresa com a Eletronorte, vergonhosamente, triplicou. Para afirmar isto estou me utilizando dos dados apresentados pelo atual presidente da CEA Sr. Jozimar Peixoto, em audiência pública na Assembléia Legislativa no último dia 27 de junho.

CPI da CEA já, pois o governador Waldez não tem sido capaz de pagar a conta de consumo do seu próprio governo junto à CEA. Como um governo que não dá exemplo, ou seja, que dá calote em sua própria empresa de energia, pode se atribuir autoridade moral para cobrar do cidadão, seja ele o mais humilde ou o mais abastado? CPI da CEA já, pois apesar do senhor Said Barbosa Dib querer culpar o governo do PSB, não fomos nós que fizemos um plano de recuperação que custou escandalosos R$ 450.000,00 para os combalidos cofres da CEA, e não o colocamos em prática.

CPI da CEA já, pois o governo Waldez em 2006, ano chave para a salvação da empresa, colocou seus objetivos eleitorais acima dos interesses da CEA e do povo do Amapá. Premido pelo processo eleitoral e pela sua baixa popularidade, o governador Waldez Góes usou a CEA para obter o apoio do Partido dos Trabalhadores que, precisando eleger seus candidatos à Câmara Federal e estadual, usou a CEA como trampolim político. No jogo de conveniências eleitorais nem o governador cobrou e nem o PT implantou o plano de ação para salvar a CEA. CPI da CEA já, pois tudo isso aqui colocado não passa da ponta do iceberg. Quantas informações fundamentais para que o povo compreenda o estado falimentar da CEA não estão escondidos em gavetas refrigeradas de gabinetes da burocracia amapaense?

Por essas e inúmeras outras razões peço ao governador que libere a sua bancada de sustentação para fazer o que o povo espera que façamos como poder legislativo independente e autônomo: investiguemos de maneira séria e profunda, sem paixões, as razões que levaram a CEA a se encontrar nesta situação pré-falimentar.

Camilo Capiberibe, deputado estadual pelo PSB do Amapá