Deputadas pedem que SUS distribua vacinas contra o doença sexualmente transmissível

Brasília, 28/06/2007 - Parlamentares da Bancada Feminina no Congresso Nacional reivindicaram hoje, 28, ao Governo Federal, que as mulheres brasileiras recebam gratuitamente as vacinas de prevenção ao HPV. Elas reuniram-se com o ministro da saúde José Gomes Temporão. HPV é um vírus transmitido por contato sexual e pode ocasionar câncer no colo de útero.

O ministro considerou positiva a mobilização das parlamentares, tornando conhecidos os procedimentos de prevenção ao HPV e ao câncer de colo de útero. Estima-se que 30% das mulheres entre 15 e 60 anos tenham o HPV, que pode resultar em câncer. O exame de Papanicolau é o procedimento mais adequado para a prevenção.

Temporão afirmou às parlamentares que a prevenção ao HPV e ao câncer de colo de útero está entre as ações para implantação prioritária pelo Ministério da Saúde. O ministro alertou que o custo da vacina ainda é muito alto, já que apenas um laboratório norte-americano a produz. Estima-se que, com a entrada de novos laboratórios na sua produção, o preço tende a cair, além de facilitar a negociação do governo para sua aquisição.

Para atender todas as adolescentes e jovens que não tenham tido relação sexual - critério indiscutível para receber a vacina - estima-se o custo de R$ 1,8 bilhão, ao passo que todo o programa de imunização do Ministério da Saúde tem orçamento de R$ 750 milhões. Cada vacina imuniza durante cerca de seis meses e custa em torno de R$ 900,00. O Ministério já estuda a possibilidade de parcerias para transferência de tecnologia com laboratórios privados, que já resultaram em menor custo na produção da maioria dos medicamentos distribuídos pelo SUS.

Estiveram na audiência as deputadas federais Janete Capiberibe, Jô Moraes, Vanessa Grazziotin, Ângela Portela e Perpétua Almeida.

PREVINA-SE CONTRA O HPV E LEMBRE-SE:
(site Gineco.com.br)
· Use preservativo em todas as relações sexuais.
· Fique atenta a esses sintomas: coceira, corrimento, sangramento anormal, principalmente fora da menstruação, e dor durante a relação sexual. Se você tiver algum desses sintomas procure seu ginecologista.
· Fumar, beber em excesso ou usar drogas afeta o sistema de defesa do organismo fazendo com que o HPV atinja a mulher com maior facilidade.
· Procure saber mais sobre o HPV e o câncer de colo uterino e compartilhe todas essas informações com o seu parceiro e amigas. Assim será mais fácil se prevenir.
É importante que seu parceiro também procure um médico para verificar se ele está com o vírus.
A maioria das pessoas com vida sexual ativa pode estar infectada por algum dos tipos do HPV.

Saiba mais sobre como prevenir e tratar-se do HPV. Acesse o site do Instituto Nacional do Câncer - INCA - do Ministério da Saúde. Clique aqui.


Na foto: Ministro José Gomes Temporão e deputadas
Jô Moraes, Ângela Portela e Janete Capiberibe


Sizan Luis Esberci