“Nossa campanha será limpa e combaterá a má-fé”, disse Camilo Capiberibe

O candidato à Prefeitura de Macapá pelo PSB, Camilo Capiberibe, visitou na tarde desta segunda-feira, 14, o desembargador Carmo Antônio, presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Amapá. O socialista apresentou sua candidatura ao desembargador, e ainda ouviu que o TRE-AP não privilegiará nenhum candidato, e “quem afirma que somos coniventes ou vendidos a qualquer político é ignorante”, afirmou veementemente Carmo Antônio.

O desembargador completou garantindo ao prefeiturável Camilo Capiberibe que a atuação do TRE nas eleições 2008, “assim como ocorreu nas eleições anteriores”, será a de coibir quaisquer abusos que venham ferir a lei eleitoral, como o crime de captação ilícita de sufrágio, a popular compra de voto.

O candidato do PSB à Prefeitura de Macapá informou ao desembargador que já teve a infeliz experiência de presenciar a prática da compra de voto por parte de alguns políticos “que se aproveitam das pessoas menos informadas para terem beneficio próprio durante a campanha. Seremos fiscais eleitorais para ajudar o TRE a evitar que haja excessos principalmente em uma parcela da sociedade que infelizmente ainda pode ser suscetível a vender seu voto”, afirmou Camilo.

O desembargador Carmo Antônio também garantiu a Camilo Capiberibe que os candidatos que possuem “ficha suja” junto à justiça terão seus registros indeferidos pelo Tribunal Regional Eleitoral. “Não podemos permitir que políticos relacionados a quaisquer crimes registrados na justiça se apresentem como candidatos no presente pleito eleitoral”, disse.

Ao final da visita, o prefeiturável Camilo Capiberibe assegurou ao presidente do TRE-AP que “nossa campanha, alem de fiscalizadora dos abusos, será limpa e propositiva, pois, o que nos interessa é construir junto ao eleitorado nossas idéias para podermos governar Macapá da forma que a população merece. Queremos disputar esta eleição com os outros candidatos de maneira igualitária e honesta porque não agimos e nunca agiremos de má-fé”.

Igualdade na campanha é primordial - da mesma forma que o candidato Camilo Capiberibe acredita em uma campanha igualitária e limpa, o juiz eleitoral Marconi Pimenta endossa: “o que pretendemos é estabelecer o principio da igualdade entre todos os candidatos para termos total honestidade nestas eleições”, disse o magistrado, durante visita do socialista Camilo, em companhia de seu vice Randolfe Rodrigues, à Casa da Cidadania, localizada ao lado da sede do TRE-AP, na última quinta-feira, 11.

Na oportunidade, Camilo Capiberibe solicitou ao juiz Marconi que o TRE disponibilize a todos os candidatos uma cartilha explicativa sobre o que é permitido ou não nas eleições 2008. O juiz eleitoral, ao exemplificar sobre os deveres dos candidatos, disse a Camilo que “não vi nenhum abuso na convenção que referendou sua candidatura à Prefeitura de Macapá, ao contrário de algumas que até carreata tiveram”, dizendo ainda que apreciará a proposta da cartilha.

O juiz Augusto Leite, o qual faz parte da comissão que fiscaliza o abusos da propaganda eleitoral desta campanha, enfatizou a questão da fiscalização. “Assim como a população, o próprio candidato pode ser um verdadeiro fiscal para combater as praticas criminosas. “O político que se beneficia de crime eleitoral, como a compra do voto, principalmente das pessoas carentes, está cometendo um verdadeiro pecado, além de estar eliminando a liberdade de escolha das pessoas”, disse o juiz Marconi Pimenta.

Na mesa do magistrado estavam seis pastas processuais compostas por extensas páginas que atestam transferência ilícita de voto de determinado município para Macapá, outra pratica comum de crime eleitoral. “Macapá não precisa vender seu voto, ou permitir que algum candidato lhe faça alguma proposta indevida. Macapá precisa é de propostas para se desenvolver definitivamente, e nossa campanha será construída desta forma, com o povo, sem abuso algum”, garantiu o candidato Camilo Capiberibe aos juízes.

Raul Mareco -