Funasa intensifica controle de endemias nas áreas indígenas

A Divisão Epidemiológica (Divep) da Coordenação Regional da Funasa no Amapá (Core/Ap) intensifica, a partir desta semana, o controle de endemias nas áreas indígenas do Amapá e norte do Pará. A medida é uma ação de prevenção de doenças como a malária e leishmaniose.

Uma equipe formada por 30 agentes de saúde pública e guardas de endemias do Divep/Ap foi deslocada para realizar um trabalho de borrifação e termonebulização (fumacê) nas aldeias localizadas no Parque do Tumucumaque (Norte do Pará) e nos municípios de Pedra Branca do Amaparí e Oiapoque. Os técnicos também estarão realizando coleta de lâminas para exame e diagnóstico de malária com encaminhamento para tratamento dos casos positivos.

O chefe da Divisão, José Oliveira, explicou que essa ação é necessária porque todo ano, no mês de julho, aumenta o índice de casos de malária nas aldeias. Segundo ele, “nessa época, começa a aumentar o período anofélico (vetores transmissores de malária), por isso estamos realizando esse trabalho de controle visando diminuir esse índice”. Oliveira disse ainda, que com a diminuição das chuvas na região, a tendência é diminuir o volume de água dos rios e igarapés e, a partir de então, poderá ser feita a limpeza das áreas de entorno dessas áreas, também como medida preventiva denominada de “dessombreamento” das águas, fazendo com que os raios do sol penetrem nas margens e evitem, assim, o criadouro dos mosquitos transmissores.

A previsão de a equipe permanecer em área é de 20 a 30 dias, que varia de acordo com as dificuldades de acesso às aldeias indígenas. Todos os guardas de endemias e agentes de saúde do Divep estão em trabalho de campo.

Gilvana Santos
Ascom Funasa/Ap
(96) 9126-2202
(96) 3214-2009