Educação em saúde nas comunidades ribeirinhas e extrativistas do Amapá

Extrativistas e ribeirinhos receberam técnicos de Educação em Saúde da Coordenação Regional da Funasa no Amapá (Core/Ap) para discutir ações de continuidade provenientes das oficinas realizadas em 2007. As reuniões aconteceram no período de 16 a 26 de junho, nas áreas extrativistas do Sororoca e Santa Clara, no município de Mazagão, Açaizal, no Laranjal do Jarí e na comunidade ribeirinha Aterro do Muriacá, em Vitória do Jarí.

A equipe ficou dois dias em cada comunidade para ouvir os moradores e verificar os avanços das comissões formadas no ano passado, para o alcance das melhorias e quais as dificuldades encontradas. Esse trabalho de acompanhamento é que se constitui nas ações de continuidade das oficinas de educação em saúde.

Os líderes das comissões reclamaram do descaso das prefeituras quanto às solicitações feitas pela comunidade e que foram tiradas durante os encontros. Segundo as lideranças, as propostas foram encaminhadas aos prefeitos e aos secretários municipais de saúde, através de documento, e até o momento nenhuma providencia foi tomada.

O abastecimento de água é uma das reivindicações o que, segundo as lideranças, é um dos maiores problemas. Eles citaram como exemplo a horta que foi iniciada e orientada por um técnico agrícola, durante uma das oficinas da Funasa, e que não foi “pra frente devido à falta de água”, reclamam os moradores.

Os integrantes das comissões de todas as comunidades solicitaram a realização de novas oficinas para melhoria da educação dos moradores que foi de grande valia, principalmente, para as crianças.

A coordenação regional de Educação em Saúde da Funasa no Estado do Amapá é regida pela Portaria 457, de 22 de abril de 2008. É um setor ligado diretamente ao Coordenador Regional e possui recurso próprio, descentralizado mediante programação anual de ações e atividades programadas, como cumprimento de metas propostas para 2008.

Socorro Rodrigues