Sesa continua campanha de vacinação contra Poliomielite

A segunda etapa pretende alcançar as mais de 82 mil crianças menores de cinco anos de todo o Estado

A segunda etapa da campanha nacional de vacinação contra a poliomielite começa em agosto. Crianças de até cinco anos devem tomar, a partir da próxima quarta-feira, 1, a segunda dose da vacina que previne contra a paralisia infantil. Nesta segunda etapa, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) quer recuperar os números não atingidos na primeira fase da campanha e superar a meta estabelecida pelo Ministério da Saúde. Cerca de 80 mil crianças em todo o Amapá devem ser imunizadas.

A primeira etapa que finalizou em julho, alcançou 88% das crianças menores de cinco anos do Estado. Por isso, o Setor de Imunização da Vigilância em Saúde da Sesa, que coordena a campanha no Amapá, estabeleceu como meta para a segunda etapa, superar os 95% estabelecidos pelo Ministério da Saúde e com isso imunizar as crianças que não receberam a primeira dose da vacina.

Dos 16 municípios do Estado, nove atingiram as metas da primeira fase da campanha: Calçoene, Cutias, Pedra Branca do Amaparí, Santana, Serra do Navio, Amapá, Mazagão, Porto Grande e Tartarugalzinho. Os outros municípios receberão atenção especial da Vigilância em Saúde para atingir as metas estabelecidas pelo ministério nesta campanha da segunda dose da vacina.

Segundo Iolanda Bastos, coordenadora estadual de imunização, apesar de alguns municípios não terem alcançado a meta estabelecida pelo Ministério da Saúde, a campanha transcorreu de forma positiva no Estado. “Na segunda etapa vamos intensificar a campanha, principalmente nos municípios que obtiveram os menores índices de cobertura, como Oiapoque, que registrou 65% de alcance”, afirmou a coordenadora.

A Campanha de Vacinação contra a paralisia infantil é realizada no Brasil desde 1980 e em 2000, o Brasil recebeu Certificado de Erradicação da Poliomielite da Organização Mundial de Saúde. O Estado do Amapá não apresenta casos de paralisia infantil desde 1997. “Continuar a campanha de vacinação é importante para manter a erradicação da doença nas crianças do Estado”, acrescenta Bastos.

A doença é caracterizada por febre, mal-estar, cefaléia e, em certos casos, paralisia. A poliomielite deve ser imediatamente notificada. É importante lembrar que mesmo que o cartão de vacinação da criança esteja completo, ela deve tomar a segunda dose da vacina.

Bruna Martins