Mercado Central de Macapá aglutina amantes da arte em noite de poesia

Chico Terra
Amapá Busca

Esta sexta-feira, além da apresentação de Lula Gerônimo e seu excelente repertório musical, foi marcada pela presença de poetas como Benedito Trindade, Dinho Araújo e Fernando Canto, além do púbico que aproveitou a noite em lugar privilegiado aonde um ventinho muito gostoso vindo do amazonas, refrescava os presentes. Dinho recitou poema dedicado às mulheres de sua autoria e Fernando Canto deu uma canja acompanhando-se ao violão, coisa rara de ver. O poeta foi surpreendido pela cantoria de Chico Terra que interpretou “Devaneio” homenageando-o. Chico, ponderando o poder da palavra do poeta falou: - Veja o que você plantou na cabeça de um moleque de 12 anos. Ouvi isso nessa idade e jamais esqueci.

Aqui vai a letra dos anos 70 quando o grupo “Os mocambos” tocava a canção com o toque melodioso do violino do Seu Ernany da Farmácia.

Devaneio

Colorido, é o sonho em preto e branco/ Onde a gente não percebe/ O equilíbrio de uma cor/ Colorido, é voltar no paraíso/ Mergulhado em turbilhão/Girando, girando/ Descobrindo a solidão/ Porém meu mundo é riscado/ Por lápis, facas e aviões/ Viajo em devaneio/ Nas trevas, penumbra e na luz/ Sempre montado nas nuvens/ Que dissipam, quando caio, em solo de algodão/ Que se transforma em lama/ Levando todo meu lixo/ Para esgoto longínquo/ Cheio de podridão/ Ah meu sonho, meu sonho, colorido/ Risco o céu, risco o mar, risco todo o infinito/ Risco a mão, o papel, risco o mapa e o sentimento.

Este sábado, mais atrações estão previstas para o Mercado Central. Além da cantoria de Lula Gerônimo na parte interna do mercado, uma galera que adora vinil estará ao lado, no Bar du Pedro, tocando as mais variadas velharias musicais. Aí está um programa gostoso, regional e com a cara de Macapá, que já faz sucesso com apenas duas semanas de vida. A maioria aposta que vai pegar.