Atendimento Fisioterapêutico gratuito tira pacientes de agendas demoradas

Joicilene Santos

Foram 5.288 atendimentos realizados por 50 acadêmicos de Fisioterapia da Faculdade Seama em sete pontos da capital. Em quase quatro meses, eles agilizaram o atendimento de mais de 845 pacientes encaminhados à fisioterapia pelos serviços de saúde da capital e interior do estado.

Os pacientes receberam o atendimento que poderia demorar meses. “Cada acadêmico ficou responsável em atender determinados pacientes, sempre sob a supervisão docente, avaliando, traçando conduta, tratando e encaminhando a alta. A cada alta, um novo paciente era recrutado”, explicou a coordenadora de estágio, Marilia Maniglia de Resende.

Para a aluna Heliane Braga de Almeida, a atividade é gratificante por saber que o conhecimento adquirido em sala de aula contribui com pessoas que levariam meses para receber um tratamento fisioterápico. “Por isso, estar aqui hoje é mais do que cumprir uma atividade acadêmica é dar minha contribuição para a saúde da população amapaense, é mostrar o papel do profissional de Fisioterapia”, relatou a acadêmica de Fisioterapia.

Os estágios são desenvolvidos na rede municipal e estadual de saúde e fazem parte do programa de estágio do curso de Fisioterapia da Faculdade Seama. Durante as atividades, casos sérios foram diagnosticados e tratados. Essa experiência foi compartilhada com profissionais e estudantes através da Reunião de Casos Clínicos em Fisioterapia da Seama ocorrida em junho.

UTI neonatal e adulto, Fisioterapia Comunitária, Cardiorespiratória, Músculo esquelético e neuro-funcional foram as áreas atendidas pelos acadêmicos. Os alunos realizaram avaliações, atendimentos, acompanhamento de pacientes e discussão de casos clínicos de crianças, idosos, jovens e adultos com diferentes problemas.

O estudante Rafael da Silva da Gama de 21 anos sofreu um acidente de transito há um mês e teve que buscar o atendimento de fisioterapia, pois, poderia perder os movimentos de sua mão. Rafael teve uma fratura média na falange, luxação e outras complicações, não estava conseguindo movimentar sua mão. O estudante recorreu ao atendimento realizado pelos acadêmicos através de um amigo que havia sido tratado pelos acadêmicos de Fisioterapia.

“Após o acidente não consegui movimentar meus dedos, nem conseguir fechar a mão me consultei e o médico disse que teria que realizar Fisioterapia, então um amigo me indicou esse atendimento gratuito e estou aqui sendo bem atendido, talvez melhor que em muitas clínicas particulares” relatou o paciente Rafael da Silva da Gama.

Postos de atendimento

Os postos de atendimento estão localizados no CREAP, Abrigo São José, Clínica de Fisioterapia Turíbio Guimarães, APAE, Hospital de Clínicas Alberto Lima, Posto de Saúde São Pedro e Maternidade Mãe Luzia. Os atendimentos, de caráter permanente, são realizados diariamente das 8h às 12h e das 14h às 18h. A cada dois meses, os postos recebem uma nova equipe de estagiários para dar continuidade ao trabalho.

Os interessados podem procurar um dos postos acima, nos horários indicados e agendar sua avaliação.


ESTATÍSTICA GERAL DE ATENDIMENTOS * (02/03 a 27/06)

DEPARTAMENTOS
Nº de Pacientes
Nº de Pacientes
Nº de Patologias Atendidas
Fisioterapia Hospitalar
206
893
37
Fisioterapia Neuro-funcional
78
386
8
Fisioterapia Cárdio-respiratória
270
879
15
Fisioterapia Musculo-esquelética
164
1969
19
Comunitária
127
1153
62
TOTAL GERAL
845
5280
141