Educadores discutem reivindicações

Após o I Encontro de Integração, denominado, “Agnaldo da Graça Bahia”, os educadores do Sistema de Organização Modular de Ensino (Some), promoveram nesta segunda-feira (30), na sede social do Sinsepeap, mais um debate. Desta vez, a comissão do ensino modular apresentará aos 600 professores dessa categoria o resultado das discussões sobre as 30 reivindicações apresentadas ao Secretário de Educação do Estado (Seed), Adauto Bittencourt.

Construções de alojamento, criação de uma coordenação político - pedagógica, retomada dos encontros pedagógicos foram algumas das propostas elaboradas durante o I Encontro Agnaldo Bahia, ocorrido no fim de junho, para melhorar as precárias condições de trabalho do educador que atua no interior.

A idéia, segundo Maria Luiza, professora do Some, foi de buscar políticas alternativas para minimizar as deficiências no desenvolvimento das atividades pedagógicas. O documento foi encaminhado ao secretário da Seed que discutiu junto a uma comissão de professores do modular as propostas. O resultado desse encontro será informado aos demais educadores na segunda-feira. “A partir daí a categoria analisará se acata ou rejeita o posicionamento do secretário”, afirmou Maria Luiza.

As propostas foram elaboradas por uma comissão de trabalho, formada por professores do grupo fundamental e médio. A medida, segundo ela é uma forma de proporcionar a reflexão sobre o PCCS, a integração e socializar entre questões levantadas pelo grupo de professores.

“As propostas foram criadas com base nos inúmeros problemas que a categoria enfrenta, a exemplo, das condições estruturação e físicas das escolas, falta de material didático e pedagógico entre outras sofridas pelo professores que atuam no interior”, disse.

Some

O ensino modular funciona no Estado desde 1995, sua proposta de implantação da educação rural é garantir a continuidade dos atendimentos e a expansão do 2º grau nos municípios. Um dos objetivos específicos para o inicio deste trabalho, foi proporcionar uma meta de ações voltadas para o desenvolvimento alternativo às medidas educativas e assim buscar superar as dificuldades deste processo educacional e cultural dos municípios.