Fundecap abre inscrições
para o V Festival da canção


Estão abertas as inscrições para o Vº Festival Amapaense da Canção, que a Fundecap – Fundação Estadual de Cultura do Amapá está programando para os dias 02, 03 e 04 de maio próximos, no Teatro das Bacabeiras. As inscrições vão até o dia 12 de abril, quando começa o processo de triagem para a escolha das 24 músicas que farão parte das duas eliminatórias. No dia 15 de abril, a Fundecap anuncia o resultado da seleção.

O Festival está aberto à participação de compositores de todo o Brasil que, mesmo em parceria, têm o direito de inscrever no máximo duas canções.

No ano de 2001, devido ao fechamento do Teatro das Bacabeiras para uma reforma geral em suas instalações, a realização do Femac, que vinha ocorrendo anualmente, foi interrompida. Este ano, ele retorna bem mais estruturado, trazendo no regulamento algumas novidades. Entre elas, a liberação de composições que já participaram de outros festivais, desde que as mesmas não tenham sido ainda editadas em discos de tiragem comercial, como acontece na maioria dos eventos de caráter competitivo espalhados pelo Brasil.

Como parte da especial programação de reabertura do Teatro das Bacabeiras, o Femac este ano ganha maior dimensão, sendo divulgado pela imprensa de outros estados, com o intuito de promover um grande encontro de artistas na cidade, que virão dos mais variados e longínquos pontos do país.

O Governo do Amapá disponibilizou R$ 13,8 mil e troféus, para ser divididos entre os primeiros colocados, incluindo ainda: melhor letra, arranjo, intérprete e música mais popular.

As 12 finalistas serão registradas em Cd.

Para o festival, segundo o diretor-presidente da Fundecap, Nélson Souza, as atrações que vão abrilhantar as três noites estão em fase inicial de negociações. "São nomes consagrados que fazem a verdadeira história da Música Popular Brasileira", garante o diretor.

O regulamento do Festival Amapaense da Canção está disponível aos compositores do Amapá, das 08 às 12 e das 14 às 18 horas, na Fundecap, na rua Tiradentes. Para os demais estados, o que também é uma novidade, o regulamento pode ser acessado nos seguintes sites:

www.amapa.gov.br (a home page do Governo do Estado) e www.festivaisdobrasil.com.br – a mais completa e específica página da internet sobre os festivais brasileiros.

A distribuição do regulamento é gratuita e não há taxa de inscrição.

Bombons da Sol
Bombons de chocolate com recheio de frutas regionais.
Deliciosos,
Pedidos pelos telefones 223 4335 e 9964 7433


Tia Neném
Lanches, sucos naturais e comidas regonais e nacionais.
Tacacá especial.
Tradição de 30 anos.
Cônego Domingos Maltez próximo da Eliezer Levy



 

Jurupary
Ente do mal. Demônio dos olhos de fogo que vive na floresta
Piracema
Época em que cardumes de peixes sobem os rios para a desova
Pedra do rio
Diz a lenda que que são as lágrimas de uma índia que chorava a perda do amado. É onde está a íagem de São José, na frente de Macapá.
Macapá
Vem de Macapaba, ou "estância das bacabas".
Bacaba
Fruto de uma palmeira, a bacabeira. O fruto produz um vinho grosso parecido com o o açai.
Curumim
Menino na linguagem dos índios, expressão adotada pelos brancos em alguns lugares.
Jurupary
O demônio da floresta tem os olhos de fogo, e quem o vê, de frente, não volta para contar a história.
Yara
É a mãe d'água. Habita os rios, encanta com a suavidade da voz, e leva pessoas para o castelo onde mora, no fundo do rio.
Pitiú
Cheiro forte de peixe, boto, cobra, jacaré e
outros animais.
Ilharga
Perto ou em volta de alguma coisa
Jacaré Açu
Jacaré grande.
Jacaré Tinga
Jacaré pequeno
Panema
Pessoa sem sorte, azarada. Rio em peixe.
Sumano
Simplificação da expressão"ei seu mano",que é usada por quem passa pelo meio do rio para saudar quem se encontra nas margens
Caruana
Espíritos do bem que habitam as águas e protegem as plantas os homens e os animais.
Inhaca
Cheiro forte de maresia, de axilas de homem, de peixe ou de mulher
Tucuju
Nação indígena que habitava a margem esquerda do rio Amazonas, no local onde hoje está localizada a cidade de Macapá.
Montaria
Identifica tanto o cavalo como a canoa pequena, de remo.
Porrudo
Grande, enorme, muito forte ou muito gordo
Boiúna.
Cobra grande, capaz de engolir uma canoa.(Lenda)
Massaranduba
Madeira de lei, pessoa grosseira, mal educada.
Acapu
Madeira preta, gente grossa mal educada.