"Simãozinho Sonhador" vence o concurso DOCTV IV

A quarta edição do DOCTV no Amapá vai contar a história de um poeta popular que vendeu mais de 15 mil exemplares do seu livro O ABC da Mulher, oferecido de porta em porta pela cidade de Macapá. Através de Simãozinho Sonhador é possível ver, ao mesmo tempo, a alma de milhares de pessoas que vieram para o Norte construir a vida com suor e arte.

Simãozinho será o personagem narrador de sua própria história, numa narrativa direta, cheia dos detalhes fantásticos, "impregnadas das cores e sons próprios de sua arte, seguindo o roteiro de vida que o fez tripa de teatro de bonecos, palhaço e trapezista de circo, de como escapou da morte que quase o leva do meio do picadeiro, num acidente do qual seu parceiro de número não escapou. De como ele trocou o circo por um trabalho mais maneiro: peão de touro bravo até compor seu livro mais famoso: o ABC da Mulher, e de como ele conseguiu vender 15 mil exemplares", diz um trecho do projeto, de Manoel Ribeiro do Vale Junior.

O documentário terá 52 minutos de duração, com orçamento total de R$ 110 mil reais através de assinatura de contrato de co-produção com o Governo do Estado do Amapá por meio da Secretaria de Estado da Cultura do Amapá e a Associação Brasileira das Emissoras Públicas, Educativas e Culturais. "Simãozinho Sonhador" será exibido em cadeia nacional através da programação da Rede Pública de Televisão, e em programações regionais da SECULT/AP no período de maio de 2009 a janeiro de 2010.

Dos 110 mil reais a serem investidos na produção do filme, 80 mil reais serão repassados através do convênio firmado entre a Associação Brasileira das Emissoras Públicas, Educativas e Culturais e a Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura e o restante, 30 mil reais, serão aportados pelo Governo do Estado do Amapá através da SECULT.

Nesta edição do Programa DOCTV foram selecionados ainda os seguintes projetos: As Benzedeiras do Amapá: Profissão, Missão e Fé de autoria de Rosenilda Sandra Fernandes da Rocha; 7 Janelas de autoria de Clive Gavin Andrews; Maracá e Cunani "Civilizações Guerreiras" de autoria de Ana Vidigal e Escola da Prisão de autoria Eliane Leal Vasquez.

Nos estados em que há TV pública, a emissora assume o papel executivo: organiza o concurso de projetos de documentários desde a fase de divulgação, inscrição e seleção; acompanha, como co-produtora. No Amapá, esse papel é exercido pela SECULT.

O DOCTV é uma realização do Ministério da Cultura, através da Secretaria para o Desenvolvimento das Artes Audiovisuais/ABEPEC - Associação Brasileira das Emissoras Públicas, Educativas e Culturais/TV Cultura - Fundação Padre Anchieta, Governo do Estado do Amapá através da SECULT com apoio da ABD/AP, Faculdade Seama, do Sesc/AP e IEPA por meio do Museu Sacaca.

ssim como nas séries DOCTV II e III, a quarta edição será exibida, através das emissoras públicas dos 26 estados brasileiros e do Distrito Federal. No Amapá, os 35 documentários inéditos serão exibidos por meio de parceria com o Instituto de Pesquisa do Amapá através do Museu Sacaca e Sesc/ Amapá.

Foram inscritos 2.380 projetos de documentários em 74 Concursos Estaduais DOCTV realizados nas três edições do Programa, tendo produzido 114 documentários e gerado 3.026 h de programação em Rede Pública de Televisão, promovendo a efetiva descentralização de recursos financeiros para as 27 unidades federativas, entre recursos do Ministério da Cultura e das tvs e instituições públicas estaduais participantes da Rede DOCTV.

Coordenação Estadual do DOCTV

Secretaria de Estado da Cultura

55 96 9114 9319