Banco Mundial promove debate sobre Projeto São Francisco

Brasília - O Banco Mundial (Bird) está promovendo, nesta terça-feira (31), em seu escritório em Brasília, localizado no Corporate Financial Center, uma rica discussão sobre o Projeto São Francisco, na qual participam o ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima, a diretoria do Banco e representantes do Ministério do Meio Ambiente (MMA), da Agência Nacional de Águas (ANA) e da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf).

Na abertura do evento, o ministro Geddel Vieira Lima disse que o Projeto São Francisco se insere dentro de um contexto de desenvolvimento e nesse sentido a parceira com o Banco Mundial é fundamental. "É preciso ter o Bird mais próximo, aproveitar a inteligência, o conhecimento técnico, o espírito público, a experiência internacional, requisitos capazes de agregar muito valor ao Projeto. Também para as questões futuras, a cooperação é essencial, já que o Banco Mundial poderá nos ajudar no gerenciamento da água e na criação de um modelo de gestão", ressaltou.

O diretor para o Brasil do Banco Mundial, John Briscoe, falou da importância do Projeto para o país, para o Ministério e para o Banco.
"Estamos felizes com a chegada do ministro Geddel ao Ministério da Integração Nacional, executando projetos de transposição, revitalização e desenvolvimento econômico do Vale do São Francisco. Na nossa opinião, não discutimos se tem ou não que fazer a transposição, a decisão já está tomada nesse sentido. Queremos contribuir para o bem-estar do Nordeste", afirmou.

Jonh Briscoe falou, ainda, da importância da água para o Nordeste. "O Programa Proágua é muito importante, então precisamos saber qual a sua disponibilidade, como será a gestão dos recursos hídricos", questionou.
Bruno Pagnoccheschi, diretor da Área de Projetos da ANA, se pronunciou logo em seguida, e enfatizou que a presença da ANA vai além da regulamentação.
"Estamos envolvidos com o Projeto São Francisco de forma umbilical, por isso é importante fortalecermos nossas parcerias, senão teremos dificuldades com nossas tarefas", explicou.

O secretário de Recursos Hídricos e Ambientes Urbanos do Ministério do Meio Ambiente, Luciano Zica, também demonstrou sua satisfação em participar das discussões. "Precisamos assegurar a implementação das ações na Bacia do São Francisco, é um compromisso".


A coordenadora do Programa de Revitalização do Rio São Francisco, Karla Yoshida Arns, apresentou as linhas de atuação da revitalização, falando sobre os antecedentes, os objetivos, investimentos e ações estratégicas.
Depois, o assessor técnico do Projeto São Francisco, Rômulo Macedo, também fez considerações fundamentais do Projeto de Integração do Rio São Francisco com as Bacias Hidrográficas do Nordeste Setentrional.
Relatou o Projeto em números, expondo, por exemplo, os indicadores de escassez de águas, a navegabilidade e irrigação, os programas ambientais.

Na parte da tarde, a reunião continua com a apresentação das relevantes experiências internacionais pelo Banco Mundial e com as considerações a respeito dos temas apresentados.

A convite do Ministério da Integração Nacional, será realizada no dia 31 de julho oficina informal sobre o projeto de transposição e revitalização do Rio São Francisco. O Ministério apresentará o atual projeto do São Francisco. Especialistas internacionais trazidos pelo Banco Mundial exporão
as experiências com infra-estrutura, gestão e meio ambiente de Murray Darling (Austrália), Colorado (EUA) e Rio Orange (Lesoto/África do Sul). Os dois primeiros casos envolvem questões interestaduais em grandes países federativos, e o terceiro é um projeto binacional de transposição. Também será apresentada a experiência do Sistema Cantareira, em São Paulo. Técnicos de outras agências federais, incluindo o Ministério do Meio Ambiente e a Agência Nacional de Águas, também participarão. O propósito do evento é contribuir para o projeto do Rio São Francisco por meio da troca de conhecimentos entre os especialistas internacionais e o Ministério. O Banco Mundial é parceiro de longa data do Governo Federal e dos governos estaduais em projetos de recursos hídricos no Nordeste, e um de seus principais papéis é trazer a experiência e conhecimentos internacionais.

http://www.bancomundial.org.br/index.php/content/view_document/3026.html