Fortaleza

Advogado de procurador quer transferir inquérito para o Amapá

A defesa acredita que no Amapá o processo será levado com maior isenção, diante da da comoção social que o crime causou na cidade

19/08/2008 09:12

O advogado de defesa de Ernandes Lopes Pereira, 59, acusado de matar o delegado Cid Júnior, afirmou na manhã desta terça-feira, 19, que pretende transferir as investigações para o Amapá. Paulo Braun disse que essa possibilidade será estudada para evitar maior sofrimento para a família do procurador aposentado, por causa da comoção social que o crime causou na cidade. “No Amapá o julgamento pode ser levado com mais isenção”.

Paulo Braun explicou que essa possibilidade consta da Lei Orgânica do Ministério Público Federal e do Ministério Público Estadual, além de ser amparada pela Constituição Federal, e é estendida não apenas ao procurador de justiça da ativa, mas também ao membro aposentado. O advogado também informou que entrará com pedido de habeas corpus para Ernandes responder ao processo em liberdade.

Nesta manhã, devem ser ouvidos na Delegacia de Defraudações e Falsificações o juiz Jucid Peixoto de Amaral e Cid Neto, respectivamente irmão e filho do delegado Cid Junior. Para a tarde está previsto o depoimento da mãe de Cid e de outras duas testemunhas, que não tiveram os nomes divulgados.


Redação O POVO.com.br e Eliomar de Lima