Nesta sexta tem Sarau do Largo dos Inocentes

A arte invade o Largo dos Inocentes nesta sexta-feira (29). É o II Sarau da Confraria Tucuju que vem celebrar as noites de verão em Macapá. Será mais uma grande seresta com exposição de artes plásticas, poesias, obras da literatura amapaense, artesanato, mostra do folclore regional, gastronomia e música. A partir das 18 horas, quando o sol estiver se derramando no horizonte, começa no Largo a movimentação cultural.

Às 20 horas entram em cena os shows de música ao vivo. Esse horário respeita a celebração religiosa da Matriz de São José, nosso cenário a céu aberto. O primeiro show será com a cantora Silmara, vocalista da Banda Negro de Nós, que fará apresentação solo cantando Música Popular Brasileira. Em seguida, Finéias e Banda, com repertório nacional, incluindo Bossa Nova. Todas as atrações musicais do Sarau incluem em seu repertório, com ênfase, a música brasileira feita por compositores do Amapá.

Nas artes plásticas: O Sarau trará este mês exposições dos artistas plásticos Deco, Wagner Ribeiro, Da Gama, Honorato, M. Silva, Pantaleão e Herivelton.

Na poesia: Homenagem especial à poetisa Aracy de Mont’Alverne, organizada pela também poetisa Elizabeth Soares; varais de poesia e declamações.

Na literatura: Lançamento do livro de bolso "Zero Voto”, de Alcinéa Cavalcante e Rostan Martins, um divertido jeito de contar causos da política local. Tenda com exposição do acervo de literatura amapaense da Biblioteca Pública Eucy Lacerda.

No artesanato: Exposição e comercialização de peças produzidas pelos artesãos Firmina (bonecos e bijuterias), Socorro (chapéus e sandálias), Jejê (cordões e anéis de sementes), Edicléia (camisas e bijuterias), Esmeraldina (bonecas e camisas) e Margareth (camisas.

No folclore: História, indumentária, instrumentos e artefatos do Marabaixo.

Na música: A Associação dos Músicos e Compositores do Amapá - AMCAP participa do Sarau expondo e comercializando CDs e DVDs de artistas amapaenses.

Os shows:
Silmara Lobato, aos 15 anos começou a cantar profissionalmente nas noites de Macapá, integrando a Banda Moara, onde permaneceu por dois anos. Em 1997 saiu para participar do projeto "Batuquerada", cantando na banda de mesmo nome por 3 meses. Com o fim do projeto, cantou durante 6 meses na extinta Banda Sigma do Oitante, onde juntamente com vários músicos gravou a canção "Meninas do Amazonas", primeiro trabalho registrado em CD.

Essa música fez com que fosse convidada para participar como intérprete no II Femac (Festival Macapaense da Canção) onde se destacou como revelação. Após breve carreira solo, retornou a Banda Moara onde permaneceu por mais um ano. No fim de 1998 foi convidada para gravar o CD de um grupo que seria lançado no início do ano seguinte, e trazia a idéia inovadora para a época de uma mulher no vocal. Aceitou o convite e passou a integrar a Banda Negro de Nós onde canta até hoje.

Completamente eclética e fã de artistas diversos (de Caetano a Legião Urbana), vê com enorme alegria a oportunidade de interpretar as pérolas da MPB que tanto gosta de ouvir. Com repertório grandemente variado, neste show intimista promete fazer aquilo que mais gosta e que lhe rende momentos de extrema satisfação: cantar, interpretar, viver a música.

Finéias Reis, é músico, arranjador e produtor musical. Iniciou na música dentro de casa com seu pai, o professor e mastro Tiago Reis. Aos 15 anos tornou-se músico profissional da noite tocando os mais diversos estilos. Durante três anos, em Cayenne, Guiana Francesa, fez parte da banda New Star. Integrou a banda que acompanhava o cantor Kzan Nery e também a banda The Tramp’s. Mais tarde integrou a banda Brind’s, onde permaneceu por sete anos ao lado do músico Vanildon Leal. Tocou com os maiores nomes da música no Amapá como a cantora Patrícia Bastos. Tem um trabalho instrumental inovador com a banda Amazon Music e recentemente coordenou o I Festival de Música Instrumental do Amapá.

O Sarau do Largo dos Inocentes nasceu para recriar no centro histórico de Macapá o sentimento de amor pela cidade, através das artes e do resgate da memória.

Márcia Corrêa
Jornalista
Em 27/08/08