Discurso da deputada federal Janete Capiberibe - 30/08/2007 - em homenagem ao militante social HERBERT JOSÉ DE SOUZA - "Betinho"

Senhor Presidente;

Senhoras e Senhores Parlamentares;

Dia 09 passado fez 10 anos do desaparecimento físico do brasileiro humanista e lutador HERBERT JOSÉ DE SOUZA, que o Brasil aprendeu a gostar chamando-o “Betinho”.

De saúde frágil, Betinho aprendeu desde cedo a aproveitar cada minuto, a viver com intensidade. E foi assim em tudo o que fez. Dedicou sua vida à luta contra as injustiças sociais e humanas até ser vitimado pela AIDS, que na sua mão virou motivo de mobilização.

A luta social e humanitária foi o eixo de seus intensos 61 anos de vida. Empunhou a bandeira das causas que tinham a cidadania aos brasileiros mais sofridos como meta inarredável.

Betinho é o símbolo da determinação e do trabalho incansável pela cidadania, pela restauração da democracia participativa, pela valorização da solidariedade e dos direitos humanos em uma sociedade ainda injusta.

Sua existência se destaca nos momentos relevantes da história recente do país e em vários movimentos de mobilização social, entre eles:

a Campanha Nacional pela Reforma Agrária, em 1983, congregando entidades de trabalhadores rurais;

a organização, em 1990, do movimento Terra e Democracia;

em 1992, o Movimento Pela Ética na Política, que culminou com o impeachment do presidente Fernando Collor de Mello.

Logo depois, Betinho dedicou-se à Ação da Cidadania contra a Miséria e Pela Vida. A campanha contra a fome ganhou as ruas com aprovação de 96% da sociedade.

É o incansável Coordenador da "Ação pela Cidadania contra a Fome e a Miséria", que pretendia ir além do assistencialismo para aglutinar outros movimentos e iniciativas individuais e comunitárias na consolidação dos direitos da maioria da população brasileira.

Por isso, se a Ação pela Cidadania tinha a aprovação maciça da população, incomodava aqueles que não admitiam - e ainda não admitem - como direitos do povo brasileiro o emprego, o alimento, a divisão da riqueza, a previdência, a educação, a saúde, o teto e um pedaço de chão.

A luta pela terra era a etapa final do programa Ação Pela Cidadania, o maior legado público deste brasileiro. Desnecessário dizer que a luta permanece absolutamente atual.

Continuamos compartilhando com Betinho os mesmos ideais, que o mantém vivo, conosco, até hoje.

Ainda compartilhamos a mesma vitalidade e inquietude na busca dos direitos do povo que tínhamos em nossa convivência durante os duros anos de exílio.

Assisti, junto com meu companheiro João Capiberibe, o filme “Três Irmãos de Sangue”. A vida de Betinho conta um longo capítulo da história brasileira e da vida de cada um de nós que resistimos à ditadura, lutamos pela democracia e continuamos empunhando a bandeira da cidadania plena.

Betinho e seus irmãos Henfil e Chico Mário são os nossos irmãos de sangue nos ideais de democracia, cidadania e justiça social.

Uma homenagem que deixa irrequietos nossos corações e renova nossa esperança de acreditarmos no ser humano e na construção de uma Nação de cidadãos e cidadãs com direitos amplos.

Registro, Senhor Presidente, esta homenagem a Betinho, cuja vida, a história e os ideais nos provocam por que continuam vivos.


Peço a divulgação nos órgãos de comunicação desta Casa.


Muito Obrigada.


Deputada Federal Janete Capiberibe - PSB/AP