Caminhada encerra Semana de Aleitamento Materno

A XVIII Semana Mundial de Aleitamento Materno termina nesta sexta-feira (7) com a Caminhada em Prol do Aleitamento Materno. A concentração, às 16h, será em frente ao Hospital da Mulher Mãe Luzia (HMML), com saída as 16h30. O trajeto será FAB, Candido Mendes, com chegada na Praça do Forte. Após a Caminhada, haverá premiação da Gincana em Prol da Amamentação. Na ocasião os coordenadores da Semana do Aleitamento e o secretário estadual de saúde, Pedro Paulo Dias de Carvalho, farão uma avaliação sobre o evento.

Sucesso

Foi uma verdadeira festa a abertura da Semana do Aleitamento. O evento superou todas as expectativas. Foram quase mil mães amamentando no meio do planeta, no monumento Marco Zero do Equador. Organizado pela Secretaria de Estado da Saúde, através do Banco de Leite Humano, o evento de abertura deste ano foi a segunda edição do Show 500 Mães Amamentando, que em 2008 reuniu quase 700 mulheres amamentando as margens do Rio Amazonas.

Mesmo antes da abertura oficial já era possível perceber que o objetivo de reunir várias mães alimentando com leite materno suas crianças, para mostrar a importância do ato de amamentar, já havia sido alcançado. Foram 875 mamães que compareceram ao meio do mundo e deram uma demonstração de amor.

Banco de Leite

No Estado cerca de 600 mães estão cadastradas no Banco de Leite Humano (BLH). Lá, as mães recebem orientações sobre a importância da amamentação e a contribuição na saúde de outros bebês com a doação do leite materno. "A amamentação favorece a relação afetiva entre mãe e bebê, e também ajuda o bebê a defender-se de infecções e desenvolver-se bem, tanto física quanto emocionalmente", alertou a diretora do BLH, Andréa Marvão.

Atualmente o órgão tem 59 doadoras externas. O volume médio de leite doado é de 89 litros. Esta quantidade promove, em média, um atendimento de 1120 usuárias por mês. No entanto, o ideal seria que o volume médio fosse superior a 105 litros mensais de leite humano. “Essa é uma das razões de darmos tanta importância para essa campanha. Quanto mais conscientizarmos mais doadoras e volume de leite nós teremos”, ponderou Andréia.

Pesquisa

Apesar do volume de doação para o Banco de Leite Humano ainda não ser o ideal, isso não impediu que a parceria do Governo do Estado com a Prefeitura de Macapá colocasse a capital amapaense na primeira colocação de uma pesquisa encomendada pelo Ministério da Saúde. O resultado mostrou que Macapá é o município brasileiro com o melhor desempenho em prevalência de aleitamento materno, ou seja, é a cidade que tem mais crianças que, por mais tempo, consomem o leite humano como alimento exclusivo nos seis primeiros meses de vida.

Benefícios do leite humano

A Semana Mundial de Aleitamento Materno faz parte de uma história mundial focada na sobrevivência, proteção e desenvolvimento da criança. Desde sua criação em 1948 que a Organização Mundial de Saúde (OMS) tem entre suas ações, aquelas voltadas a saúde da criança, que tem como prioridade estabelecer um comitê nacional de coordenação da amamentação.

Hoje, mais do que nunca, o aleitamento materno é reconhecido no mundo inteiro como fator mais eficaz de proteção para os bebês. Os principais motivos são: O bebê que mama no peito não precisa de nenhum outro alimento, liquido ou complemento, pois o leite materno oferece tudo o que o bebê precisa, mata a sede, a fome e possui todos os nutrientes que o bebê necessita para crescer e se desenvolver forte e saudável. É o único alimento capaz de oferecer tudo o que o bebê necessita nos primeiros seis meses de vida. O leite materno continua sendo um alimento seguro e excelente até os dois anos ou mais.

Não existe nenhum outro leite capaz de substituir adequadamente o leite materno. Se o bebê tomar outros leites preparados em situações precárias poderá ter diarréia. A amamentação é um excelente exercício para o desenvolvimento da face da criança, importante para que ela tenha dentes fortes e bonitos, desenvolva a fala e tenha uma boa respiração.

Na amamentação, o bebê recebe os anticorpos da mãe para proteção contra diarréia, infecções respiratórias e outras infecções. Amamentar é bom não só para a saúde do bebê, mas também para a saúde da mãe. O sangramento pós-parto diminui, assim como as chances de desenvolver anemia, câncer de mama, de ovário e diabetes. A mulher que amamenta perde mais rápido o peso que ganhou durante a gravidez.

Ascom / Sesa 3312 1515

Cleia Lima 9114 6532

Elder de Abreu 8116 4507