Deputada denuncia em Brasília agressão a estudantes de Macapá


Brasília, 9/8/2007 - A deputada federal Janete Capiberibe (PSB/AP) denunciou na tribuna e à Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados a agressão da guarda municipal de Macapá aos estudantes das redes municipal e estadual de ensino, a mando do prefeito João Henrique Pimentel. A agressão aconteceu ontem, quarta-feira, quando os estudantes protestavam contra o aumento de quase 17% nas passagens de ônibus da cidade.

“Já há muita corrupção no Amapá. A incompetência administrativa é clara: caducidade da companhia de Eletricidade do Amapá - CEA, falta de serviços públicos de educação, de saúde, ruas e estradas estão completamente esburacadas, falta coleta de lixo. Agora, o prefeito João Henrique Pimentel quer tirar da juventude o direito à livre manifestação”, relacionou a deputada socialista que considera grave a situação na capital.

Ela lembrou que o direito à livre manifestação de pensamento teve um preço muito alto para aqueles que resistiram à ditadura militar. “Conquistamos este direito com muita luta e ao custo de muitas vidas. Enfrentamos a ditadura militar, fomos forçados a deixar o país, sacrificamos nossas vidas e nossas famílias pela democracia e pelo direito à livre manifestação. É vergonhoso como alguns políticos, como prefeito João Henrique Pimentel, preso na Operação Pororoca da Polícia Federal, prefiram repetir o que há de pior na história brasileira”, atacou a socialista, que foi militante da resistência à ditadura e exilada política.

A agressão aos estudantes foi confirmada por Policiais Militares que acompanhavam a manifestação. Uma Farmácia Popular virou cadeia para algemar e prender estudantes. Um dos guardas municipais, segurança pessoal do prefeito, estava armado. A legislação proíbe o armamento das guardas municipais.

A deputada contou que a intervenção do deputado estadual Camilo Capiberibe, do Partido Socialista Brasileiro, presidente da Comissão de Direitos Humanos da Assembléia, e da Polícia Militar, evitou mais agressões e abuso de poder sobre os estudantes. Eles estavam prestes a serem levados presos ao sistema penitenciário do estado. “Uma repressão idêntica ao que acontecia durante o regime militar”, comparou a deputada Janete.

Os estudantes farão nova manifestação nesta sexta-feira à tarde. “A manifestação é um direito constitucional. Peço atenção da imprensa nacional para que não haja agressão aos estudantes. Eles sinalizam o poder de mobilização do povo do meu estado contra a corrupção e a falta de políticas públicas”, incentivou a socialista.

O bilhete de passagem dos ônibus em Macapá aumentou de R$ 1,50 para R$ 1,75 em decisão da Prefeitura Municipal amparada pela Justiça. Para ir e voltar da escola, um estudante vai gastar mais de 70 reais por mês com passagens. O valor representa mais de um quinto do salário mínimo.


Sizan Luis Esberci

*Com Raul Mareco