QUANTA CONTRADIÇÃO
Édi Prado - 09.08.07

Está escrito no site do governo:
OLIMPÍADAS ESCOLARES REÚNEM 4 MIL ATLETAS
Mais de 50 Instituições de ensino participam da segunda edição das Olimpíadas

Começou nesta quarta-feira, a segunda edição das Olimpíadas Escolares no Ginásio Avertino Ramos. O vice-governador Pedro Paulo prestigiou a abertura, que teve a apresentação das 52 escolas participantes. Os jogos acontecem até o dia 22 de setembro.

A competição que já foi chamada de Jogos Escolares teve na cerimônia de abertura a confirmação do espírito esportivo dos estudantes amapaenses. Escolas públicas e particulares apresentaram seus atletas para quase dois mil alunos, que estavam no ginásio.

Estudantes-atletas das escolas estaduais Tiradentes, Colégio Amapaense, Gabriel de Almeida Café, Escola Integrada de Macapá e Barão do Rio Branco, conduziram a tocha olímpica durante o revezamento. Cerca de 4 mil alunos da rede pública e privada de ensino vão participar dos jogos.

A chegada da Tocha Olímpica foi o ápice do evento. Pelas mãos do atleta da Escola Estadual Tiradentes, Rodrigo Magalhães Freire, a pira Olímpica foi acesa. Pedro Paulo vê o esporte como inclusão social, integração e espírito esportivo entre os atletas e estudantes. Esse é o texto do release deles.

Pára. Pode parar. Em entrevista ontem neste programa, o secretário de Desporto e Lazer, admitiu que o caixa da secretaria estivesse baixo e por isso teve que dispensar 20 pessoas destinadas a serviços gerais, entre elas as merendeiras e serventes. Falou ainda que esta situação vem ocorrendo desde o ano passado e estava sendo protelada ,mas que agora não teve outro jeito senão a dispensa desse pessoal.

Puxa que senso administrativo perfeito. Quer dizer que a Secretaria de Desporto e Lazer- Sedel- com a Secretaria de Estado de Educação organizam uma Olimpíada Escolar, reunindo mais de 52 Instituições, com participação de mais de quatro mil atletas em diversas modalidades, com o governo investindo R$ 300 mil em toda a organização e com promessa de patrocinar os que forem classificados para a etapa nacional e não tem dinheiro para manter 20 serventes?

Então esses atletas vão competir em quadras imundas, banheiros horríveis e ficam logo sabendo que não tem esse negócio de lanchinho para recuperar as forças, não. Nada de merenda. Atleta do Amapá não precisa de merenda para competir. Que negócio é esse de querer imitar o sul maravilha? De querer quadra limpa e banheiros limpinhos. Pra quê esse luxo?

Então contenção de despesa é isso: Vão logo cortando os mais necessários e que ganham menos na fatia desse bolo? Então quer dizer que tirando esses 20 serventes de folham vai sobrar dinheiro? Vamos fazer uma conta superfaturada com a despesa desse pessoal? Vamos estabelecer um teto máximo de 500 Reais para cada servente, vezes 20, é igual a 10 mil. Pronto com esse dinheiro sobrando, vai dar para fazer a festa dos atletas que conseguirem chegar vivos em outubro e o governo do Estado vai provar para o mundo que o esporte, quando levado com garra, firmeza e determinação, não precisam gastar 10 mil reais para pagar serventes nem merendeiras. Pra quê serventes? Pra quê merendeiras? Não seria mais sensato dispensar o secretário e os CDIs? Certamente que numa situação dessas, os serventes são mais úteis.

Deve ter alguma coisa errada nessa história toda. Alguém aí sabe direito isso? Por favor, ligue. Passe as informações. O Senhor secretário também pode esclarecer melhor essa matemática. E o que é que os pobres serventes fizeram de tão ruim assim, para ficarem de fora do trabalho e serem obrigados a participar de outra olimpíada da sobrevivência, num estado sem oferta de trabalho?

Será que o secretário está querendo exibir a tese de que atleta sem higiene e sem alimentação é capaz de superar essa barreira e subir ao podium? Essa medida me deu medo.