O "doutor" que veio do mato

- 04/09/2007
Local: Rio Branco - AC
Fonte: O Rio Branco
Link: http://www.oriobranco.com.br/

Ele não tem formação acadêmica, mas tem o dom de receitar remédios de raízes da floresta que curam 100%

Raimundo Fernandes

Quando ele começou, em 1987, não sabia ler nem escrever até descobrir o dom de receitar as pessoas, passando remédios de raízes extraídas da selva amazônica. Vinte anos depois, é conhecido "doutor" Cardoso. Homem capaz de passar misturas de chás para aliviar ou até curar, diversos tipos de doenças. Quem recebe, suas receitas afirma que ele não costuma errar. Antônio Cardoso Maia, 67, um ex-seringueiro, agricultor que tem 21 filhos, dezenas de netos e por demais conhecido como o Doutor da Floresta no vale do Juruá. Além de produzir ele faz a entrega dos pedidos, chegando a caminhar até 40 km. "Tudo para manter sua freguesia", afirma.
Cardoso diz que não obriga ninguém a tomar os remédios que produz, afirma que manda os doentes procurem os médicos, mas, também não vai deixar de vender suas garrafadas para quem já tem comprovadamente comprado e se dado bem, ou seja, recebido melhora do mal que sofre. "Este negócio de médicos foram as pessoas que inventaram. Nem sei ler e nem escrever bem até, mas, se bebem dos meus chás e recebem a cura Divina o que há de errado nisso?. Deus tem poder para mover montanhas, porque não pode extrair um remédio da selva Amazônica, dando-lhe sabedoria para agir a ajudar a diminuir as dores de quem sofre", justifica Cardoso.

Seringueiro e agricultor que virou o "doutor" da floresta
Cardoso reside a cerca de 40 km de Cruzeiro do Sul na colocação Alto pentecostes, ramal das Américas, onde foi presidente de associações e teve uma vida corrida, por isso participou da Assembléia Aberta do Juruá, com muita alegria e disposição para ajudar a resolver os problemas de sua terra. Disse que começou sua vida na medicina caseira, com ervas artesanais, fazendo testes do que produzia com ele mesmo. Utilizava cascas ou raízes de jatobá, copaíba, pau Darko, Roxinho, unha de gato, jucá, salça, curipi e outras dezenas de misturas que se tornaram medicinais. Comprovadamente, tem servido para levantar pessoas que estão acamadas, por algum tipo doença ou enfermidades.
"Não sou maluco de receitar minhas garrafadas para pessoas que estão com algo estranho, do tipo um mal desconhecido e nem aconselho ninguém a tomar. Até porque, tenho uma clientela, que, vai deste de Cruzeiro do Sul até outras c cidades da região. Não vendo mais porque me faltam condições para produzir. Ando até quarenta quilômetros a pé com minhas garrafadas, e vendo cada uma ao preço de R$ 10,00. Chego a produzir até 200 unidades por semana. Tem mais, tenho todo o caudado para causar desequilíbrio ecológico, tiro as raízes ou cascas sem matar as arvores" comenta.

As garrafadas que fazem os homens virarem o "bicho" na cama
Dores nas costas, rins, fígados, baço, coluna, estômagos, cabeça. Curar feridas e outras coisas mais suas garrafadas têm fama de servir, mas o que ele diz ser o remédio mais procurado é para os homens que não sentem mais animação sexual com as mulheres, votar suas atividades normais. Só que este ele não ensina a receita. Diz que alguém pode copiá-las. Afirma que nunca recebeu reclamação de ter falhado neste tipo de medicação. "Só tem que observar as vezes e hora de tomar", garante e afirma: "Não digo por que pode ser imitado. Quem tiver dúvidas, compre a garrafada Levanta-te homem fraco".
Contudo, ele carrega uma frustração. Após nascer seu 21° filho, ele acabou traído pela esposa que deu a luz toda esta geração, mas, logo justifica "não foi por falta de potência e sim, porque minha mulher se apaixonou por outro homem, que ela dizia ser mais bonito, coisa que ninguém pode explicar, só ela mesmo. Pois, eu não podia receitar algo para animar a vida sexual dos machos e ao mesmo tempo, me tornar um fraco na cama", brinca, Cardoso o doutor da floresta do Juruá.